Time Out Rio de Janeiro

5 eventos de arte imperdíveis

No embalo da ArteRio , a cidade está inspirando arte em alguns dos eventos paralelos mais interessantes da história da cidade. Confima:

Os melhores eventos paralelos, que decorrem durante a segunda edição da ArtRio que você simplesmente não pode perder.

Já faz muito tempo que a cidade do Rio desfruta de um destaque digno sob o olhar do mundo e sabemos que há muitas razões para isso, mas também sabemos que a arte raramente foi uma delas. Contudo, com o regresso da ArtRio esse mês de setembro, grandes nomes internacionais como Chagall, Picasso e Giacometti vão ser licitados ao lado de visionários nacionais como Portinari e Oiticica, por um mercado de Arte brasileiro em pleno crescimento. E se você precisar ter uma ideia do poder de compra dos visitantes, não se assuste com os R$150 milhões que são esperados em vendas, nos quatro dias do evento. Claro que também vai ter espaço para os nomes menos conhecidos, mas igualmente merecedores de atenção, isso tudo para não falar dos eventos paralelos que pegarão carona na ArtRio. A Time Out Rio escolheu esses cinco eventos a não perder.


OiR - Outras Ideias para o Rio

A cidade vai se tornar uma enorme galeria a céu aberto nos próximos meses, com a inauguração de uma iniciativa que promete dar um novo rosto à arte no Rio, tranzendo para a linha da frente artistas nacionais e internacionais, numa altura que ameaça dominar toda a cena da cidade. A iniciativa que está decorrendo, que tem como curador Marcello Dantas (o homem por detrás das recentes mostras de Antony Gormley e Anish Kapoor) vai ter edição a cada dois anos e tem chamado um monte de talentos internacionais para ajudar a dar seus primeiros passos como evento de arte. Nomes como Brian Eno, Ryoiji Ikeda e Andy Goldsworthy fazem parte dos artistas que vão ocupar um espaço diferente da cidade com as suas instalações.

O artista britânico Goldsworthy criou uma enorme, mas frágil cúpula de argila, no Centro Cultural da Ação da Cidadania (Avenida Barão de Tefé 75, Saúde) onde o visitante pode entrar dentro. Andy Goldsworthy é conhecido por seus trabalhos com materiais naturais como folhas e seixos, e já expôs em locais como o interior da Austrália e o pólo Norte. Vai ter também, na Cinelândia, uma instalação do artista mininalista Robert Morris, que consiste em um labirinto gigante de vidro triangular, com escala suficiente para os visitantes poderem entrar e analisar.

O escultor espanhol Jaume Plensa exibe a sua obra Awilda na praia de Botafogo, durante dois meses. O artista é famoso por suas criações de grandes dimensões, e essa não é exceção, a cabeça de quase 12 metros feita de fibra de vidro está fixa nas águas da baía de Guanabara e abrigada pelo morro do Pão de Açucar vai ficar olhando para quem passa na praia, na rua e mesmo no ônibus. Igualmente impressionantes são as esculturas de madeira do artista plástico brasileiro, Henrique Oliveira, presentes no recentemente inaugurado Parque Madureira. 


Fábrica Aberta

Depois de terem sido ameaçados de expulsão, os artistas que tomaram a antiga fábrica de chocolate Bhering, em Santo Cristo, mesmo na fronteira entre o Centro e a zona Portuaria (e depois de terem ganho a batalha judicial contra a ordem de despejo) organizaram um evento de arte aberto ao público, que decorre durante toda a semana da ArtRio, e não só. Os 20,000 metros quadrados que compõem a fábrica foram dividios em estudios para cada artista, tendo tornado esse local no epicentro da nova arte do Rio. Artistas como Ana Holck, Gabriela Maciel e Alexandre Rangel fazem parte dos moradores da fábrica, uma oportunidade rara para ver o centro creativo do Rio no seu melhor.


Ernesto Neto


Para celebrar os cem anos da magnífica Estação da Leopoldina, o artista plástico Ernesto Neto instalou uma impressionate obra, O Bicho Suspenso na Paisagem, no enorme vazio da estação. As cores brilhantes das cordas e redes se entrelaçam para concretizar um enorme túnel suspenso, como uma obra gigante de crochet, realizada por um entusiasta, quase obsessivo, desta arte. Sem dúvida uma das iniciativas mais interessantes das atividades paralelas à ArtRio.


Nuvem

Depois das traquinagens que a galera dos Nuvem gerou no Parque Campo Santana, a festa agora é do Largo do Machado ao Parque Lage. Integrada no evento paralelo à ArtRio, Arte Sonora, essa ação que vai decorrer no sábado, vai ser uma verdadeira festa em duas rodas. O ponto de encontro vai ser Largo do Machado a partir das 17h, e numa atmosfera (quase) de carnaval seguir viagem até ao Parque Lage, com o pôr do sol no pano de fundo e o rádio, que pode ser sintonizado por todos os ciclistas, tocando o mais alto que puder para ajudar no barulho da festa.


Circuitos ArtRio

Para celebrar e dar a conhecer alguns dos lugares mais preciosos, mas também desconhecidos do Rio, os curadores da ArtRio organizaram 15 tours por pontos chave da arte pública e arquitetura cariocas. Os circuitos incluem desde as pérolas Art Deco de Copacabana, até uma curiosa celebração da cor azul. A Time Out Rio selecionou as cinco tours mais interessantes, mas pode encontrar a lista completa no website da ArtRio.

1. Circuito Zona Portuária
A reabilitação da zona portuaria do Rio é assinalada com uma tour pelas principais atrações desta área, com o objetivo de promover e dar uma nova imagem ao coração industrial do Rio. Você vai poder conhcer pérolas barrocas como o Mosteiro de São Bento, e restaurantes pouco usuais como o Albamar e ainda descobrir os tesouros escondidos de Mauá.

Confira os horários variados no site da ArtRio

2. Circuito Morro da Conceição
Um dos bairros mais antigos do Rio, e casa da famosa roda de samba da Pedra do Sal, tem como pontos de interesse o forte, que está atualmente em ruínas e as casas de arquitetura portuguesa, que remontam ao início da ocupação do Rio de Janeiro.

3. O Rio Acontece na Cinelândia
Para aqueles que estão menos familiarizados com as atrações do Centro, as tours do Teatro Municipal, Biblioteca Nacional e pelos azulejos de Portineri, são a oportunidade perfeita para ficar a par.

4. Circuito Modernista – Copacabana
Desde o edifício SESC, de Oscar Niemeyer, ao enorme projeto de Roberto Burle Marx de aumentar a largura do passeio de Copacabana, a arquiteura modernista vai pegar você em cada esquina, esse programa pode não agradar a todos, mas não vai poder negar o impacte que a arquitetura modernista brasileira tem na cidade do Rio.


5. Circuito Vik Muniz
O artista carioca Vik Muniz atravessa toda a cidade para desvendar algumas das melhores instalações públicas no Rio, incluindo a Baleia de Ângelo Venosa, no Leme, e o lindíssimo projeto de escrita que fica por baixo do viaduto no Caju (imagem).
 

Escrito por Time Out Rio de Janeiro editors
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus

Outras notícias recomendadas

Hair & Beauty 2016

Boulevard Olímpico

Baixo Suíça reabre com tecnologia para deficientes