Time Out Rio de Janeiro

Dicas de arte contemporânea na cidade

Confira um roteiro especial para quem deseja conhecer um circuito diferente de artes plásticas no Rio

Para aqueles que curtem um bom pós-praia ou até um mergulho noturno, a cidade está fervendo com programações quentíssimas e muito diversificadas. Por isso, para aproveitar o embalo da agenda cultural da temporada, a Time Out fez um guia off-road de algumas das exposições que não podem ficar de fora de um bom roteiro de arte. Isso, porque o Rio além de possuir um amplo leque de instituições e museus como o MAM, o MAR, o CCBB, também oferece algumas preciosas galerias particulares, onde é possível descobrir talentos imensuráveis da cena da arte contemporânea.
 

Gentil Carioca

Para muitos conhecedores sobre o assunto, definitivamente esta é uma das galerias que melhor representa o Rio de Janeiro no cenário da arte contemporânea atual. Além de representar nomes como Ernesto Neto, Laura Lima, Alexandre Vogler, Cabelo, Maria Nepomuceno, entre outros, a Gentil também representa o coletivo Opavivará, com performances inusitadas e conceituais que trabalham o corpo através de pequenas experimentações. Além disso, a galeria representa as famosas Cosmococas de Helio Oiticica – uma serie de instalações com direito à vídeos rock’n’roll misturando Jimmy Hendrix ao forró pé de serra.

Atualmente está em cartaz as mostras “Vamos à Marte”, por Jarbas Lopes, e uma série de fotos das Cosmococas e a instalação "CC1 Traschiscapes" de Hélio Oiticica e Neville D"Almeida. A novidade é que a galeria ganhou um prédio novo, do outro lado da rua, muito mais ampla. Já, na sede da galeria localizado na Lagoa, bem em cima do Bar Lagoa, a Gentil apresenta a mostra “HQ: a história em quadrinhos [I will not make any more boring art]”, de Simone Michelin, que promete ser uma bela pedida. 

A Gentil Carioca 
Rua Gonçalves Ledo, 17 sobrado , Centro. Tel: (21) 2222-1651
Horário de funcionamento: Ter-sex, 12h -19h; sab, 12h-17h

A Gentil Carioca Lá 
Av. Epitácio Pessoa 1674, sala 401 – Lagoa. Tel: (21) 2523-1157
Horário de funcionamento: Ter- qua, 14h-20h, qui, sex e sab, 14h-22h

 

Galeria Artur Fidalgo

Uma galeria com a ideia de mostrar a “arte contemporânea mais vital, de várias gerações e procedências” definitivamente é algo interessante. Localizada na Rua Siqueira Campos, a Artur Fidalgo já possui no seu currículo de exposições grandes nomes da cena contemporânea da cidade, como Franz Manata & Saulo Laudares, Gabriel Centurion, Julia Debasse, Nino Cais, Albano Afonso, Carlos Bevilacqua, Edgard de Souza, Ernesto Neto, Hildebrando de Castro, Iran do Espírito Santo, José Damasceno, Paulo Climachauska, Rosana Palazyan, Sérgio Sister e Victor Arruda.

Em exibição na galeria até o dia 16 de novembro, está a dupla mostra de Suzana Queiroga, Sobre as ilhas e nuvens, e Daniel Tucci, O que há de mais profundo no homem é a pele. Suzana, que está em cartaz em outras duas exposições no Rio de Janeiro - no MAC em Niterói e “Vida secreta”, na vitrine da Travessa de Ipanema-, traça um caminho solitário, entre as nuvens, tentando alcançar através da pintura a transitoriedade e o sublime.

Já Tucci, que tem em seu currículo anos de artista como tatuador, encontrou nas palavras do filósofo francês Paul Valéry - é manifesto na superfície -, a inspiração para a instalação com mais de 500 autorretratos. Em um mergulho no conceito de identidade na pós-modernidade, Tucci se multiplica como a força de uma propaganda bolchevique. Não resgata uma ideia platônica de representação, nem benjaminiana da reprodução versus a aura do autêntico. Tucci revela o ser que se torna a partir da junção de camadas de diferenças, conflitos e dualidades.

Rua Siqueira Campos 143, lojas 147/150 - 2º piso. Copacabana - tel (21) 2549-6278
Horário de funcionamento: Seg-sex, 10h-19; sab, 10h-14h

Luciana Caravello

Uma galeria razoavelmente nova comparada às outras. Com as portas abertas desde 2011, Luciana Caravello apresenta alguns artistas novos, mas que já causam uma ótima impressão para o tumultuado mercado da arte contemporânea.

A mostra em cartaz, Sentimo-nos Cegos, de Ivan Grilo, apresenta uma pesquisa onde o artista foi buscar num passado não tão distante às raízes de algumas lendas que povoam o Brasil. Ivan descobriu que existe uma lenda, de um rei adormecido que mora no fundo do mar, ali pela região da Ilha dos Lençóis, no Maranhão. A população acredita que o Príncipe Dom Sebastião, neto do Rei Dom João III, nascido em 1554 e esperado pelo povo português como “O Desejado” filho do Príncipe Dom João, irá voltar. O príncipe morreu em combate próximo ao Marrocos, mas as pessoas, daquela região tão distante, muitas vezes esquecidas até pela globalização, acreditam que o príncipe, que mora em um castelo em baixo d’água irá voltar. O artista se aventurou numa viagem de barco, e descobriu passagens e relatos, lúdicos e reais, fortes e expressivos, que fazem valer a pena a visita na galeria. Com curadoria de Bernardo Mosqueira, a mostra fica em cartaz até o dia 23 de novembro, de segunda a sexta, das 10h às 19h e sábados das 11h às 14h.

Rua Barão de Jaguaripe 387, Ipanema. Tel: (21)2523-4696
Horário de funcionamento: Seg-sex, 10h-19h; sab, 10h-14h

Escrito por Nice Jourdan
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus

Outras notícias recomendadas

Hair & Beauty 2016

Boulevard Olímpico

Baixo Suíça reabre com tecnologia para deficientes