De bar em bar... na Lapa

A Lapa é famosa por sua cena musical mas suas ruas cheias de vida e seus bares ecléticos podem ser ótimas alternativas

Nos últimos 15 anos, a Lapa passou de uma verdadeira terra de ninguém para o principal centro de vida noturna do Rio de Janeiro, graças à revitalização de sua cena musical. Mas se samba não é sua praia, não fique preocupado. Não faltam opções para os beberrões, desde os tradicionais botequins aos estilosos bares que não deixam nada a desejar para os da Zona Sul. As sextas-feiras são os dias mais agitados, mas vale a pena uma visita ao bairro em qualquer dia da semana.

Antes de passar por debaixo dos famosos Arcos da Lapa, faça um pequeno desvio de rota até o Beco do Rato (Rua Joaquim Silva 11,  2508-5600). Pinturas retratando o passado decadente da região adornam as paredes do bar e ajudam a abrir o apetite para uma noite de devassidão. O Beco tem uma programação musical agitada, mas se tudo o que você precisa é de uns bons drinks para começar a noite, uma multidão animada lota a área do bar desde cedo.

De lá, siga pela Avenida Mem de Sá, a principal rua da Lapa, para começar oficialmente a noite. Aqui, há congregação dos baladeiros em massa, o que dá vontade de simplesmente passar a noite toda bebericando das potentes (e generosas) caipirinhas dos quiosques. Mas não se deixe enganar pelas aparências: ainda ocorrem muitos furtos na região e, por isso, é melhor deixar objetos de valor em casa e ter cuidado com a bolsa quando passar no meio das multidões.

No lugar do pouco polido Carlitos, na esquina da Mem de Sá com a Riachuelo, encontra-se a nova aquisição do bairro, o SoKana. As cadeiras na calçada fazem do lugar perfeito para sentar e tomar uma cervejinha ou duas com os amigos e observar o movimento enquanto as ruas vão enchendo.

Para algo mais pesado – aqui você tem que conhecer seus limites – algumas portas adiante está o Bar Leviano (Avenida Mem de Sá 47, 2507-5779). As caipirinhas e outros drinks são preparados com uma sofisticação que quase não se vê pela Lapa. Pegue uma mesa no segundo andar para apreciar a vista. Uma aquisição relativamente nova, o Leviano é um dos bares mais classudos da Lapa e vem ganhando boa reputação com seus saborosos petiscos. Experimente o bolinho de feijoada mas guarde espaço para os deliciosos brownies.

Mais adiante, siga para o Boteco da Garrafa (Avenida Mem de Sá 77, 2507 1976) para uma das melhores seleções de cerveja encontradas na Lapa. Aqui, o chopp foi substituído por cascos (600ml) das melhores cervejas que se encontram na Alemanha, na Argentina e, é claro, no Brasil, sempre servidos em baldes repletos de gelo.

Com o tempo correndo, é hora de checar o Bar da Boa (Avenida Mem de Sá, 69), mais conhecido como o bar da Antarctica. Aqui você não vai ter a dor de cabeça ao lidar com os garçons. Em máquinas de venda automática, você pode comprar uma garrafa de uma das cervejas preferidas dos cariocas e patrocinadora oficial do Carnaval do Rio. E pode ter certeza de que, mesmo na mais badalada das nights cariocas, ela estará estupidamente gelada. Para reforçar a ideia, vários pinguins, símbolo da marca, se espalham pelas paredes azuis do bar.

Aqueles que quiserem se aventurar pela Rua Gomes Freire, uma transversal da Mem de Sá um pouco mais fora do circuito, encontrarão algumas preciosidades, como o Lapa Café (Avenida Gomes Freire 457, 3971 6812) e sua seleção de 150 cervejas. Com menos apelo mainstream mas recheado de charme, o Lapa Café (Avenida Gomes Freire, 457 – 3971 6812), com sua seleção de 150 tipos de cerveja, tem legiões de fãs entre os experts no assunto. Há um espaço para exibições e uma jukebox, e quem ainda estiver sóbrio o suficiente a esta altura pode ler sobre a história da cerveja no Brasil nesse cantinho aprazível e idiossincrático da Lapa.

Quem vai à Lapa pela primeira vez e está louco para conhecer o famoso Rio Scenarium deve saber que seu irmão Santo Scenarium (Rua do Lavradio 36, 3147 9007) pode ser uma opção ainda melhor para uma saideira. A casa, que recebe shows de jazz e de choro, é decorada com arte por todos os lados, como as figuras religiosas que compõem o ambiente junto com as paredes de tijolinho. Dito isso, você não conseguirá resistir a sentar em uma mesinha ao ar livre no meio de um ambiente onde, durante o dia, funcionam os mais famosos antiquários da cidade.

Como a gente sabe, a saideira pode às vezes se multiplicar. Enquanto o sol começa a raiar e você tem que andar até o início da Mem de Sá para conseguir um táxi, um sanduíche na chapa ou um hambúrger da Casa da Cachaça (Avenida Mem de Sá 110) podem ser mais gostosos se acompanhados de uma última cervejinha. Talvez o termo “sem frescura” tenha sido inventado especialmente para este lugar, mas isso não afasta a horda de pessoas que aparecem por lá. Se você ainda não fez novos amigos até agora, este bar é um ótimo lugar para falar besteira para quem estiver na mesa ao lado antes de entrar num táxi e chegar em casa sentindo que fez um “bom tabalho!”

Escrito por Beth McLoughlin
Tags: 
 

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus
 

© 2011 - 2014 Time Out Group Ltd. All rights reserved. All material on this site is © Time Out.

/* Place this code at the bottom of your website HTML */