Time Out Rio de Janeiro

Bertolucci à luz da lua

Lançamento do DVD La Luna e pré-estreia do filme Eu e você ganha mostra com trajetória do conceituado diretor italiano  

Bertolucci à luz da lua

Preço até R$ 18Alguns exibições em cartaz serão gratuitas.

Somente dinheiro e cartões de débito

Horário de funcionamento 14:00

Instituto Moreira Salles
Rua Marquês de São Vicente, 476 - Gávea Rio de Janeiro - RJ, 22451-040, Gávea

Estações próximas
Metrô Superficie Gávea

O Instituto Moreira Salles comemora o lançamento do DVD La Luna e a pré-estreia do filme Eu e Você, do aclamado diretor italiano Bernardo Bertolucci, com a mostra Bertolucci à luz da lua, realizada nos dias 18, 19 e 20. Bertolucci possui uma vasta filmografia, com filmes marcantes como Beleza Roubada (1996) e Os sonhadores (2002). O diretor também foi indicado ao Oscar duas vezes pelos filmes O último tango em Paris (1972) e O último imperador (1987).
Abrindo a programação, sexta às 14h, o curador de cinema do IMS, José Carlos Avellar, e a cineasta Rose La Creta farão um bate-papo sobre o diretor. Ao todo serão exibidos dez longas, incluindo O último tango em Paris (1972), O conformista (1970) e Assédio (1998). Na sexta-feira seguinte, dia 25 às 20h, La Luna será debatido em mesa com a participação de Luiz Fernando Gallego, Giovanna Bartucci e Walter Boechat. Os DVDs estão disponíveis para venda a partir do dia 25.

PROGRAMAÇÃO

SEXTA 18
14h: La Luna à luz de seu prólogo
Exibição da primeira sequência de La Luna seguida de comentário de José Carlos Avellar e Rose La Creta.
Entrada franca

16h30: O último imperador (Last Emperor), de Bernardo Bertolucci (China, Itália, França Inglaterra, 1987. 163’)
Em La luna o filho briga com a mãe ao saber que ela lhe mentira sobre a identidade de seu pai. Em A estratégia da aranha o filho volta à cidade natal para investigar o atentado em que seu pai foi assassinado. Em O conformista o filho deixa Roma e vai a Paris assassinar seu pai intelectual, um professor que fugira da Itália para escapar ao fascismo. Pais e filhos, e de quando em quando o filho como um duplo do pai, na base
da construção dramática dos filmes de Bernardo Bertolucci. Em O último imperador, o drama começa quando uma criança é arrancada do campo, levada para uma cidade fechada e cortada de suas raízes. Essa imagem marca e define para o espectador o que acontece daí em diante com Pu Yi.
Classificação: 14 anos

20h PRÉ-ESTREIA: Eu e você (Io e te), de Bernardo Bertolucci (Itália, 2012. 97’)
Um adolescente com dificuldades para se relacionar com os pais e colegas de estudo, decide abandonar uma excursão escolar para ficar sozinho escondido por um tempo no porão abandonado do prédio em que mora. Planeja viver uma semana inteira livre de qualquer conflito, em perfeito isolamento com suas músicas e livros favoritos e uma criação de formigas. Uma visita inesperada de sua meia-irmã mais velha muda tudo. Aos 25 anos, ela passa por um momento de fragilidade e atrapalha a tentativa de fuga da realidade do irmão. Lembra o diretor que muitos dos seus filmes “lidaram com o tema da juventude e suas questões emocionais. Isso é óbvio em Os sonhadores e Beleza roubada, mas se encontra também em 1900, O último imperador e O pequeno Buda. Agora, que já passei dos 70 anos de idade, continuo intrigado por personagens jovens e pelo desafio de capturar a vitalidade e a curiosidade deles”.
Classificação: não informada

SÁBADO 19
14h: Assédio (Besieged), de Bernardo Bertolucci (Itália, Inglaterra,1998. 93’)
A observação é do crítico Luiz Carlos Merten: “Refletindo sobre si mesmo – e seu cinema –, Bertolucci retoma, em Assédio, em chave intimista, a vertente política do começo de sua carreira. A história da jovem africana que se envolve com um excêntrico músico inglês, em Roma, foi produzida para TV. É um filme pequeno como produção, mas rico pelo leque de leituras que abre. Thandie Newton, que faz a protagonista, beneficia-se da habilidade do diretor, sempre atento à beleza feminina e à intensidade dramática de suas atrizes”.
Classificação: 14 anos

15h45: Partner (Partner), de Bernardo Bertolucci (Itália, 1968. 105’)
Realizado depois de Agonia (1967), terceiro longa-metragem de Bertolucci (os dois primeiros foram A morte / La commare secca, 1962, e Antes da revolução / Prima dela rivoluzione, 1964), Partner é narrado em longos planos-sequência – “como os de O leão de sete cabeças de Rocha, One plus one de Godard e Othon, de Straub”, para Bertolucci “planos anormais, planos desesperados, pois a escrita normal é cortada”. Partner segue os delírios de um personagem (Giacobbe, interpretado por Pierre Clementi): para ele a vida não existe, somente o teatro é real.
Classificação: 16 anos

17h30: La Luna (La Luna), de Bernardo Bertolucci (Itália, EUA, 1978. 142’)
“Sou um homem nascido sob o signo da desordem” disse o diretor em entrevista no lançamento do filme. “Trabalho com abundância. Sei de diretores que são econômicos ao extremo, parcimoniosos. Eu não. Além disso, La Luna é um filme que vai em busca do prazer. Essa é a verdadeira mensagem do filme, o prazer de dar e de receber. Não existem falsos álibis nesse domínio. Se um travelling me dá prazer, eu filmo. Trabalho dessa maneira em busca de uma nova dramaticidade. Na década de 60, quando me pediam para explicar a “mensagem” de um de meus filmes, buscava uma explicação
política. Hoje eu me pergunto se não estava mentindo para mim mesmo. Creio que o prazer de filmar é a motivação natural do meu cinema, mas só me dei conta disso agora”.
Classificação: 16 anos

20h PRÉ-ESTREIA: Eu e você (Io e te) de Bernardo Bertolucci (Itália, 2012. 97’)
Classificação: não informada

DOMINGO 20
14h: O conformista (Il conformista), de Bernardo Bertolucci (Itália, França, Alemanha,1970. 106’)
“Fiz esse filme porque gosto de contradizer-me. Depois de Partner, que de certo modo tratava da destruição da estrutura narrativa tradicional, senti, para contradizer-me, a necessidade de fazer um filme em que o argumento fosse fundamental. No livro de Moravia fiquei particularmente atraído pelo mecanismo da narrativa. Tomei do romance o ponto de partida anedótico – assassinato, casamento, viagem a Paris, etc. – mas subverti sua estrutura narrativa. O livro se desenrola numa cronologia linear, uma tragédia clássica em que a presença do destino se mostra sensível. No filme o destino é substituído pela força do inconsciente”.
Classificação: 14 anos

16h: O pequeno buda (Little Buda), de Bernardo Bertolucci (Itália, França, Inglaterra,1993.123’)
Um monge budista, Lama Norbu, vai a Seattle, nos EUA, em busca de Jesse Conrad, um jovem americano que ele acredita ser a reencarnação do seu mestre, Lama Dorje, recentemente falecido. Apesar do inesperado e da total desconfiança, os pais de Jesse, Dean e Lisa aceitam viajar com o filho até o Butão, no Himalaia. Lá, Jesse conhece o Raju, outra criança que veio do Nepal, e Gita, uma menina indiana – também possíveis reencarnações do Lama Dorje. Durante os últimos testes de reconhecimento, os jovens descobrem a trajetória de Sidharta, que há mais de 2.500 anos se transformou no venerado Buda.
Classificação: livre

18h PRÉ-ESTREIA: Eu e você (Io e te) de Bernardo Bertolucci (Itália, 2012. 97’)
Classificação: não informada

19h45: La Luna (La Luna), de Bernardo Bertolucci (Itália, EUA, 1978. 142’)
Classificação: 16 anos
QUARTA 23

14h30: O céu que nos protege (The Sheltering Sky), de Bernardo Bertolucci (Itália, Inglaterra,1990.138’)
Adaptação do romance de Paul Bowles. A história se passa logo após o final da Segunda Guerra: Kit (Debra Winger) e Port Moresby (John Malkovich), um casal de americanos, viajam para a África. Não se consideram turistas mas viajantes, pois “o turista quando chega já pensa em voltar, e o viajante pode nem voltar”. George Tunner (Campbell Scott), um amigo do casal, e turista, os acompanha. Kit e Port esperam que a viagem lhes dê um novo rumo na vida, pois, a relação em crise, se algo não acontecer o casamento tende a acabar.
Classificação: 16 anos

17h: Último tango em Paris (Last Tango in Paris), de Bernardo Bertolucci (Itália, França, 1972. 136’)
“Vinha pensando em filmar a história de um casal que se encontra e se ama sem falar, sem dizer nada. Eles nem mesmo saberiam seus nomes. Escrevi dez linhas. Isso era tudo o que eu tinha no começo. Depois desenvolvi a história, mas durante a filmagem quase tudo foi improvisado”, disse o diretor na estreia do filme. “Queria fazer uma espécie de cinéma-vérité. Brando teve uma atuação muito forte e deu muito de si mesmo. Quase todo o tempo estava improvisando.

INGRESSOS:
- Eu e você: sexta, sábado e domingo | R$ 18 (inteira) e R$ 9 (meia)
- La luna/ mostra Bertolucci à luz da lua: R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia)
 

Escrito por Time Out Rio de Janeiro editors
Compartilhe

Mapa


     Se o mapa ou detalhes deste estabelecimento estão incorretos, entre em contato

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus