Time Out Rio de Janeiro

É Tudo Verdade 2017

Este evento terminou

É Tudo Verdade 2017

Data 19-30 Abr

Horário de funcionamento Confira os horários das sessões na programação.

O documentário sempre foi o patinho feio do cinema. Pelo menos no que diz respeito ao público. Mas alguns festivais são essenciais para a disseminação do gênero para além dos críticos. E esse um papel que o É Tudo Verdade vem desenvolvendo há 22 anos. Em 2017, a mostra traz 16 estreias mundiais. Ao todo, são 82 filmes de 30 países.

No Rio, o filme abertura de é o brasileiro Eu, Meu Pai e os Cariocas, estreia da atriz brasileira Lúcia Veríssimo atrás das câmeras. Nele, Lúcia revisita a história de Os Cariocas, um dos grupos mais importantes da história da MPB. O olhar da cineasta é bem particular, já que ela é filha do amestro Severino Filho (1928-2016), um dos integrantes do grupo.

Nesta edição, destacam-se: No Intenso Agora, filme que marca volta do brasileiro João Moreira Salles desde Santiago (2006); Cidade de Fantasmas, do americano Matthew Heineman, que retratas os absurdos ocorridos na cidade que o ISIS tomou como sua capital; Permanecer Vivo - Um Médoto, de Erik Lieshout, que conta com a participação e narração do roqueiro Iggy Pop; Eu, Meu Pai e os Cariocas, estreia da atriz brasileira Lúcia Veríssimo atrás das câmeras; Mexeu Com uma, Mexeu com Todas, de Sandra Werneck; Quem é Primavera das Neves, do consagrado diretor brasileiro de ficção Jorge Furtado; A Copa dos Trabalhadores, que retrata os bastidores da Copa de 2022, no Catar, entre outros.

Um novidade do festival em 2017 é a Competição de Longas Latino-Americanos, que traz sete produções. Entre elas: O Esquecimento (Im)possível, do argentino Abdrés Habegger; Rito de Passagem, da chilena Maite Alberdi; Ruínas Seu Reino, do mexicano Pablo Escoto, entre outras. 

Outra atração sempre muito interessante do É Tudo Verdade são as retrospectivas e mostras especiais. Em 2017, o ainda pouco conhecido diretor brasileiro Sergio Muniz ganha uma retrospectiva. Muniz dirigiu alguns dos títulos mais marcantes da chamada “Caravana Farkas” nos anos 1970 e realizou em 1971 um pioneiro filme-denúncia (Você Também Pode Dar um Presunto Legal) contra a violência institucionalizada pela Ditadura Militar, trabalho que foi mantido inédito até o começo dos anos 2000.

Além dessa, outra restrospectiva chama a atenção: uma seleção de 12 filmes da antiga União Soviética que comemora os 100 anos da revolução de 1917. A mostra exibe filmes que não estão entre as produções mais conhecidas do antigo bloco soviético, como Avante, Soviete! (1926), de Dziga Vertov; O Grande Caminho (1927), de Esfir Chub; Sal para a Svanécia (1930), de Mikhail Kalatôzov, entre outros. 

Confira a programação completa no site etudoverdade.com.br.

Escrito por Time Out Rio de Janeiro editors
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus