Time Out Rio de Janeiro

Compras carnavalescas

O comércio popular é o melhor lugar para garimpar fantasias e adereços para cair na folia

No carnaval, fantasia é coisa séria. Um mar de cores invade as ruas do Rio nesta temporada, quando o mínimo é usar algum adereço colorido no figurino. Plumas, paetês e purpurina, vale tudo. Mas, sem dúvidas, quem vai fantasiado pros blocos ou bailes curte muito mais. Encarnar um personagem, interagir com as pessoas e pagar mico – por quê, não!? – deixa a festa muito mais divertida. Irreverência e criatividade são palavras chave no dicionário de qualquer folião. Dos mercados populares às lojas de grife, há preços para todos os bolsos. Basta ter uma ideia na cabeça e, depois, muito samba no pé.

O Saara é um lugar no Rio onde o nome vem a calhar. Nesta época do ano, nas ruelas estreitas, lotadas de foliões, faz um calor infernal, embora lá seja o paraíso pra quem quer se fantasiar. O maior mercado popular do Rio traz centenas de lojas que se dedicam a venda exclusiva de roupas, acessórios, adereços e tudo mais que você nem possa imaginar. As melhores lojas ficam nas ruas Senhor dos Passos e da Alfândega, então prepare as canelas para flanar. É preciso se embrenhar para encontrar os produtos e ter paciência para aguentar a má vontade dos vendedores, mas os achados são imperdíveis e os preços também.

A Casa Turuna (R. Senhos dos Passos, 122/ 21 2509-3908) é a mais tradicional, fundada em 1915. Além das roupas de madrinha de escola de samba, eles vendem fantasias prontas, com preço um pouco mais salgado, e uma infinidadade de chapéus, tecidos e plumas. Aqui, os acessórios não são o forte, mas estes são encontrados facilmente na Silmer (Rua da Alfandega, 171/ 21 2224-5104). Na Super Festas (R. Senhor dos Passos, 153./ 21 2215-0734) as opções de adereços também são ótimas e dão aquela mãozinha na criatividade. 

A Aidan Festas (R. da Alfandega, 207/ 21 2242-0353) também faz sucesso entre os foliões. O bom é que a loja também possui uma filial em Copacabana (Av. Nossa Senhora de Copacabana, 618/ 21 2257-1000). Fora isso, diversas lojas de bijuterias, artigos infantis e muitos camelôs espalhados pela cidade dedicam seu estoque à data festiva.

Quem quer cair na folia com grife, algumas lojas desenvolvem mini coleções exclusivas para o carnaval. A Farm, em parceria com a Disney, fez releituras dos figurinos da Branca de Neve, Aladin (R$189) e Alice no País das Maravilhas (R$219). Há ainda opções como gueixa (R$189), pirata (R$298) e cabaret (R$279).

Já a Maria Filó preparou um kit para as foliãs. Composto por leque, glitter, presilhas e adesivos para o corpo (R$29). A empresária Isabela Capeto também vai pular o carnaval em grande estilo. Ela lançou uma linha especial com golas de tule para pierrô e colombina (R$140) e  fez parceira com a marca Can-Can, que produziu peças únicas inspiradas na Carmem Miranda e nas havaianas. 

Quem busca um toque retrô ou sofisticado, pode recorrer ainda aos brechós, que terão peças exclusivas para montar uma produção e cair na folia. 

Dicas para escolher o figurino

No quesito originalidade, ousar á a palavra de ordem. Palhaços, odaliscas, piratas, índios e colombinas, por exemplo, serão a maioria da população carnavalesca. Mas os foliões sempre conseguem inovar e causar impacto -  e risadas, claro - com suas fantasias. Usar acontecimentos recentes, fatos políticos ou filmes como inspiração, já é um bom começo. Além disso, as fantasias em grupo são sempre mais divertidas, pois todo mundo entra na onda.

Também deve-se levar em conta algumas dicas de sobrevivência, já que pular e cantar em meio a milhares de pessoas que realmente pensam que cachaça é água pode ser um tanto quanto tumultuado. Então, no quesito conforto, segurança e bem estar, a primeira dica é usar um sapato fechado, para prevenir que você volte pra casa com o chinelo, a sandália ou o próprio pé arrebentado. Além disso, você evitará contato com as desagradáveis poças de chuva, suor e cerveja que se formam pelo chão.

Um chapéu ou sombrinha (pequena para não atrapalhar os outros) também vão bem, pois serão um mini oásis no calorão ou você poderá voltar pra casa cantando “atravessando o deserto do Saara, o sol estava quente e queimou a nossa cara", que nem na marchinha Allah - la- ôoo. Divirta-se!

Escrito por Bruna Velon
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus

Outras notícias recomendadas

Hair & Beauty 2016

Boulevard Olímpico

Baixo Suíça reabre com tecnologia para deficientes