Time Out Rio de Janeiro

5 minutos com Micheline Cardoso

 Sambista do Grajaú, que já fez 4 turnês pela Europa, fala sobre sua carreira, inspirações, e também sobre a reapropriação dos espaços populares de arte que estão fora do circuito cult da cidade 

Quantos anos está na estrada?
Tenho 7 anos de carreira solo e 21 anos na música, profissionalmente.

Por que escolheu cantar samba?
É o estilo que me identifico, que traduz minha vida, minha raiz. Fui criada em um condomínio em Inhaúma chamado "Conjunto da Ordem dos Músicos do Brasil". Meus vizinhos eram Zé Kéti, Almir Guineto, Mestre Marçal e etc. O samba "entrou" muito cedo em minha vida.

Você já tem 4 Cds de samba, ao longo da jornada, quais foram os nomes em que você mais se inspirou para ir costurando a sua história musical? 
Sou fã de Clara Nunes, Elis Regina, Elizeth Cardoso, mas sempre procurei dentro do samba, tecer o meu estilo, o meu jeito de compor, a minha verdade.

Como acontece sua inspiraçao para compor?
Não existe uma "fórmula". Às vezes vivo determinada situação que me inspira falar sobre ela. Também pode ser uma história criada ou vivida por outra pessoa e que eu gostaria de falar, de expor. Enfim, acontece de várias maneiras.

Com tantas mulheres hoje cantando samba, qual o grande desafio para deixar sua marca?  O que vc considera ser o seu diferencial artístico?  
Sinceramente, sempre gostei do "diferente". Meu samba não é igual ao de ninguém, nem na parte instrumental e muito menos na parte vocal. Tenho um jeito de "Michelinear" as coisas, entende? Quem escuta minha música e acompanha, sabe identificar isso. Meu samba tem piano, tem guitarra, samplers, cavaquinho e tudo o mais que eu quiser colocar para compor e ficar do jeitinho que quero (rs).

Como foi que rolou a parceria com o projeto Caxias se ReConhece, onde acontecerá seu próximo show?
Através da aproximação com os produtores Pedro Paulo Rosa e Luana Dias. O Pedro é meu parceiro em outro projeto, o "Programa De Mi pra Lá" e conheci a Luana na mesma época. Adorei a proposta do Caxias se (re) conhece, que é a de ocupar espaços culturais que queiram valorizar e potencializar a cultura na Baixada Fluminense, com shows, peças teatrais e coletivos artísticos. Topei o convite na mesma hora. Estamos juntos!

O que acha de iniciativas que propõem o fomento da cultura em polos alternativos, ou seja, que fujam do circuito Centro, Zona Sul?
A importância é extrema. A ideia é que a população possa assistir espetáculos que certamente não teriam acesso, por falta de tempo, e por causa da distância. E ainda  há o intercâmbio cultural entre artistas e coletivos locais, o que é de uma riqueza sem limites. Vida longa ao projeto!

Como tem sido sua rotina de shows?
Graças a Deus, não estamos parando. Em maio, estaremos todos os domingos com a Roda de Samba Plugada no Leviano Bar, e dia 25, estaremos no Teatro Municipal Raul Cortez com o projeto Caxias se (re) conhece, convidando o querido Milton Guedes.

Como você tem usado a internet para divulgar seu trabalho? 
A internet é a grande responsável por meu trabalho ser conhecido no mundo inteiro, literalmente! Já fiz 4 turnês pela europa e a porta de entrada foi a divulgação de meus cds no myspace. Hoje em dia, é de extrema importância e uma forma democrática de difusão de trabalhos independentes ou não, por todo o mundo. As vendas do meu cd ocorrem através da internet, a divulgação dos meus shows, enfim, fazemos tudo através dela. 


Como você vê a questão do compartilhamento das músicas na internet? É a favor ou contra, de abrir mão dos direitos autorais pela difusão? 

Sou totalmente a favor da propagação das minhas músicas pela internet! Meu trabalho, inicialmente, só foi conhecido através dessa estratégia. Sempre disponibilizei todos os meus cds no site oficial, no myspace e em outros canais disponíveis. Os fãs, aqueles que realmente querem comprar o cd físico, não deixam de comprá-lo por baixar os mp3, entende? Eles fazem questão de comprar, de ganharem autógrafo. 

Deixe um recado para os leitores da TimeOut que ainda nao conhecem seu trabalho.
Queridos, foi um grande prazer ser entrevistada pela galera da TimeOut. Espero que tenham gostado. Se quiserem conhecer um pouco mais do meu trabalho acessem meu site. Aguardamos todos vocês no meu próximo show. Vamos prestigiar essa grande iniciativa e iniciar a era dos grandes espetáculos na Baixada Fluminense! 

Escrito por Time Out Rio de Janeiro editors
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus

Outras notícias recomendadas

Hair & Beauty 2016

Boulevard Olímpico

Baixo Suíça reabre com tecnologia para deficientes