Time Out Rio de Janeiro

Agenda dos blocos do carnaval de rua

Repertório criativo e irreverência dos foliões são as marcas registradas da folia popular carioca  

 De forma espontânea e democrática, o carnaval de rua é uma festa para todos, feita por todos, já que a animação dos foliões é um dos principais atrativos. É só ter muita disposição para dançar ao som das tradicionais marchinhas ou enredos e agüentar os perrengues de estar em meio a uma multidão de foliões. Mas todo esforço vale a pena!

É fundamental que você pesquise o perfil do bloco antes de cair na folia. Há opções para crianças, adolescentes, jovens, adultos, idosos, gays, playboys e patricinhas, neo-hippies, descolados, roqueiros, micareteiros.... Na Zona Sul, por exemplo, todos convivem entre o clima família, “night-pegação” e GLS. Aqui, tirando os figurinos das drag-queens, a criatividade se limita às camisetas dos blocos e aos adereços pra cabeça vendidos em série pelos ambulantes.

Já em Santa Teresa e no Centro, frequentadores acordam as 6 da manhã para vestir as fantasias e começar a beber para encarnar os personagens sem medo de ser feliz. Sem dúvidas, aqui o pessoal entra muito mais no clima do carnaval, já que pagar mico também faz parte da festa.

Outro ponto a avaliar é a quantidade de público: alguns com poucas centenas, outros com milhões, como o Cordão do Bola Preta e Monobloco. A cada ano, há uma nova boa ou endereço correndo no boca-a-boca que, se for bom, com certeza no próximo ano estará lotado.

Prepare seu kit para a folia, com muito confete, serpentina, adereços e fantasias. A Time Out fez uma seleção dos melhores blocos da cidade para que seu carnaval seja inesquecível.

17 de fevereiro


Carmelitas – 15h
Reza a lenda, que uma moça fugiu do convento das Carmelitas de Santa Teresa para curtir o bloco homônimo. A inusitada foliã é representada por uma enorme boneca, no estilo dos bonecos de Olinda. O público usa fantasia de hábito, figurino característico da freirinha que se jogou na festa da carne.
(Rua Dias de Barros, esquina com a Ladeira de Santa Teresa – Santa Teresa)

18 de fevereiro

Céu na Terra – 09h
Um show de cores e irreverência, essa é a marca registrada do bloco mais fantasiado do Rio. Os foliões capricham nas fantasias mais loucas e criativas para subir e descer as ladeiras de Santa Teresa, sempre com uma lata de cerveja ou um sacolé de cachaça na mão para encarar a multidão.
(Praça Odilo Costa Neto – Santa Teresa)


Cordão da Bola Preta – 09h30
“Quem não chora, não mama! Segura, meu bem, a chupeta. Lugar quente é na cama ou então no Bola Preta“. Esse é o hino do bloco que, com 94 anos de existência, bateu um recorde de publico em 2011, arrastando mais de 2 milhões de pessoas pelo Centro do Rio, ganhando o titulo de maior bloco do mundo.
(Cinelândia - Centro)


Empolga às 9 – 11h
Empolga já arrastou 40 mil pessoas em outros carnavais. O repertório pra lá de eclético, vai do samba de quadra ao frevo, passando pelo coco, maracatu e estilosas batidas funk.
(Avenida Atlântica, na altura da Rua Rainha Elizabeth - Copacabana)


Sassaricando - 15h
Muita gente fantasiada preparada para curtir o show de qualidade da banda que leva nome de uma das marchinhas mais conhecidas do carnaval. “Quem não tem seu sassarico / Sassarica mesmo só / Porque sem sassaricar / Essa vida é um nó / Sa-ssa-ssa-ri-can-do”
(Praça Luís de Camões – Glória)


Banda de Ipanema – 18h

Um dos blocos mais tradicionais do Rio de Janeiro faz a alegria dos foliões há quase cinqüenta anos. Por isso, atrai toda sorte de gente: crianças, velha guarda, muitos gringos e drag queens.
(Rua Gomes Carneiro - Ipanema)


19 de fevereiro

Cordão do Boitatá – 09h
Desde 97, o Boitatá faz um lindo baile a céu aberto tendo como cenário a Praça XV. No palco, a banda canta grandes sucessos do samba de raiz, marchinhas e até versões de Bob Marley.
(Praça XV, Centro)


Bangalafumenga – 10h
No meio do musical, esse era o nome das casas do Rio Antigo que abrigavam as rodas de samba, numa época em que batucar era caso de policia. Desde 98, o Banga, para os íntimos, conquistou um publico fiel que dança ao som das versões muito animadas, que arrastam multidões.
(Av. Infante Dom Henrique, em frente ao Coreto Modernista - Aterro do Flamengo)


Simpatia é quase amor - 16h
Desde o Carnaval de 1985, se ouve: “Alô burguesia de Ipanema, olha o Simpatia aí, gente!”, um grito de guerra irreverente que ecoa pelas ruas do bairro. O bloco desfila pela orla arrastando uma multidão calculada em cerca de 20 mil pessoas por desfile, que vai até o posto 10.
(Praça General Osório, Ipanema)


20 de fevereiro


Volta, Alice! – 09h
O sobe e desce na Rua Alice fez desse um dos melhores blocos de Laranjeiras. São cerca de 10 mil foliões fantasiados para curtir os enredos criados pelo bloco.
(Rua Alice, Laranjeiras)


Sargento Pimenta – 14h
Grande destaque do carnaval do ano passado, o bloco, cujo nome faz alusão ao álbum Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, dos Beatles, arrastou milhares de foliões pelas ruas do Rio. Com muita criatividade e irreverência, eles misturam ritmos percussivos ao Iê Iê Iê. Sem dúvidas, uma apresentação muito irreverente.
(Av. Infante Dom Henrique, em frente a Marina da Glória – Aterro do Flamengo)


Afroreggae Ipanema - 16h
O bloco que surgiu a partir de oficinas para inclusão social da ONG homônima arrasta multidões na orla de Ipanema. No repertório, além de sucessos da banda, os ritmistas vão animar os foliões com clássicos do rock, funk, MPB e ijexá em arranjos criados especialmente para o carnaval.
(Av.Vieira Souto, em frente ao Posto 10 - Ipanema)


Bloco Cru - 17h
Quem quer dar um tempo nas marchinhas e curtir um rock em pleno carnaval, tem opção. O Bloco Cru carnavaliza o rock e o pop misturando tudo aos ritmos brasileiros. Já imaginou samba, maracatu, maculelê, funk, baião e kuduro junto à distorção de guitarra, baixo, bateria e de vocais poderosos?
(Praça XV – Centro)


21 de fevereiro


Rio Maracatu – 10h
Quem já participou sabe que é impossível ficar parado ouvindo a bateria do Rio Maracatu, que toca as pesadas batidas do ritmo dos orixás. Dançarinas vestidas com suas saias de chita dão graça e beleza a apresentação, que arrasta mais de 50 mil foliões pelas ruas de Ipanema.
(Av. Vieira Souto, em frente ao posto 8 - Ipanema)

Orquestra Voadora – 14h
Desde 2008, o bloco arrasta cada vez mais foliões, passando de 10 para 25 mil pessoas na última edição. A orquestra de sopros toca desde clássicos do samba até Michael Jackson, Felá Kuti e música balcânica. Fantasia é traje quase obrigatório!
(Av. Infante Dom Henrique, em frente ao Coreto Modernista - Aterro do Flamengo)

Banda de Ipanema – 18h
O bloco faz mais uma apresentação neste carnaval.
(Rua Gomes Carneiro, entre Prudente de Morais e Vieira Souto - Ipanema)


22 de fevereiro

Me Beija Que Sou Cineasta - 12h
Desde 2006 na ativa e “a melhor banda do cinema nacional“ já se tornou um clássico da quarta-feira de cinzas. Criado por um grupo de cineastas, todo mundo vai fantasiado de algum personagem nas telonas.
(Praça Santos Dumont, Gávea)


Planta na Mente - 17h
Como o nome sugere, o bloco defende a legalização da maconha para todos os seus usos. Com irreverência e criatividade, as fantasias giram em torno do universo canábico. O objetivo da turma é plantar sementes de tolerância, alegria, amor, entusiasmo e paz, e isso inclui brincar evitando problemas com a policia!
(Rua Joaquim Silva, em frente a Escadaria Selarón - Lapa)


Me enterra na quarta – 17h
Quem não quer dar fim ao carnaval, pode apostar neste como o melhor bloco da quarta-feira de cinzas. No sobe e desce de Santa Teresa, os foliões ainda tem disposição e criatividade para se fantasiar e pular ao som das marchinhas.
(Ladeira do Castro – Santa Teresa)

25 de fevereiro


Quizomba - 11h
O bloco, que tem sede no Circo Voador, é local da Lapa. E é no bairro boêmio que faz sua folia pós-carnaval. O estilo musical é variado, indo dos sambas e marchinhas ao funk, pop e rock.
(Praça Cardeal Camara, Lapa)


Mulheres de Chico - 17h
Vinte e cinco batuqueiras homenageiam o mestre Chico Buarque, fazendo versões para os grandes sucessos do compositor. No estilo concentra-mas-nao-sai, o bloco já virou point nos Sábados pós carnaval.
(Praia do Leblon, próximo ao posto 12)


26 de fevereiro

Monobloco - 09h
Os números revelam que este é o segundo maior bloco da cidade, ficando atrás apenas do centenário Bola Preta. Nas ultimas edições foram mais de 400 mil pessoas dançando e cantando ao som da bateria do Monobloco, que atrai uma galera jovem dos quatro cantos da cidade.
(Av. Rio Branco, esquina com Presidente Vargas – Centro

Escrito por Bruna Velon
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus

Outras notícias recomendadas

Hair & Beauty 2016

Boulevard Olímpico

Baixo Suíça reabre com tecnologia para deficientes