Time Out Rio de Janeiro

O Rio por Léo Feijó

Ele é “gente que faz” na noite carioca  

Se você já curtiu uma festa indie na Casa da Matriz, assistiu um show no Teatro Odisseia ou tomou uma cerveja de garrafa no Boteco Salvação, a culpa é toda dele. Há mais de uma década, Leo Feijó empenha sua criatividade e o tino para negócios em boas sacadas na noite carioca, sempre com a missão de fugir do óbvio e fortalecer as cenas, digamos, menos pop. Sua próxima empreitada é o Prêmio Noite Rio, que há três anos dá aquela moral para os empreendedores, agentes, DJs, produtores e todo mundo mais que vira madrugadas adentro para você se divertir.

A trilha sonora para O Rio por Leo Feijó é "Baile da Pesada", com Bangalafumenga.

Se você fosse um lugar no Rio de Janeiro, você seria:
O bairro da Lapa, porque é um espaço aberto, em constante transformação e que conseguiu se reinventar diversas vezes desde 1915, quando assumiu essa atmosfera boêmia.

Uma música que seja a cara da cidade ou do carioca / que te faça lembrar do Rio quando está viajando?
Baile da Pesada, do Rodrigo Maranhão (um dos fundadores do Bangalafumenga: "Hey, Mister DJ / quero nitroglicerina / quero Maria Fumaça, Black Rio, adrenalina / Hey, Mister DJ / quero ouvir o batidão / quero ouvir o pancadão".

Uma saudade (lugar, pessoa, atividade ou época):
A Dr Smith, em Botafogo, um clube onde tocavam os DJs Edinho e José Roberto Mahr, e que frequentei quando tinha 20 anos - ou seja, por volta de 1994

O melhor do Rio?
A diversidade cultural, a paixão por música e diversão, a capacidade de receber bem as pessoas, a montanha e o mar, a chegada de instituições culturais como o MAR, a Casa Daros, o IED, a recuperação de áreas como o Porto e a Zona Norte.

O que na cidade “não está fácil para ninguém”?
Custo de vida, aluguel, mas sobretudo falta de apoio para quem quer começar negócios culturais. É sempre mais complicado atuar em setores criativos. Há algumas iniciativas que me trazem esperança, como o Rio Criativo, da Secretaria de Estado de Cultura.

Uma personalidade carioca?
Perfeito Fortuna, fundador do Circo Voador e atual presidente da Fundição Progresso.

O dia ou a noite?
Eu gosto de pensar que a noite influencia o dia, a noite é uma experiência, as pessoas se comportam de maneira mais livre. Paulo Francis dizia que "Intelectual não vai à praia, intelectual bebe". Acho que o boêmio até vai à praia, mas já pensando em que botequim irá depois, em busca de chope gelado e boas cachaças artesanais para degustar.

MPB, samba ou funk?
Tem que escolher só um estilo? No Rio e na minha playlist cabe tudo. Gosto do sambalanço do Orlandivo, a MPB do Lucas Santtana, da Ava Rocha e do Fino Coletivo, o funk da Anitta e rock do Fuzzcas.

Um lugar no Rio para:
Fugir ? Paraty.
Fazer compras? O Cluster.
Comer bem? Aconchego Carioca e Bar da Frente, na Praça da Bandeira.
Se divertir? Teatro Solar de Botafogo e no bar Teto Solar (anexo). 
Descansar? Cachoeiras na floresta.
Se apaixonar? Qualquer esquina.
Pegar uma praia? Leme.
Se inspirar? Morro da Conceição.
Ver o pôr do sol? Do alto do plano inclinado do Santa Marta

Escrito por Bruna Velon
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus

Outras notícias recomendadas

Hair & Beauty 2016

Boulevard Olímpico

Baixo Suíça reabre com tecnologia para deficientes