Time Out Rio de Janeiro

10 minutos com Pedro Neschling

Garantia de diversão, a festa Funfarra já é referência de misturas que dão certo. Com repertório cult-vintage-pop, os meninos fanrrarões fazem o clima da Praça Tiradentes, e têm agenda fechada até setembro  

O criador da Festa Funfarra, que já é uma das noites alternativas mais cobiçadas da cidade, Pedro Neschling, abre o coração e fala das inspirações para materializar em conjunto com os amigos, fanfarrices de primeira qualidade. Para isso contam com a energia de uma turma de famosos e anônimos que batem ponto em todas as edições. A TimeOut conversou com o ator que também é DJ por hobby, e só quer fazer o mundo feliz com suas carrapetas, tocando músicas que vão de clássicos do rock a Backstreet Boys.

De onde surgiu a ideia para fazer a festa Funfarra?
Surgiu da vontade de fazer uma festa divertida para os amigos, onde o repertório fosse as músicas que eu gosto de ouvir e dançar e sabia que deixaria todo mundo alegre. A ideia da FunFarra sempre foi criar um clima sem "carão", de festa entre amigos mesmo, onde a gente escutasse desde as músicas mais clássicas da nossa vida até algumas coisas que a gente não conhece mas fica feliz em conhecer.

Qual o grande barato do evento, o que o diferencia das outras festas do circuito alternativo?
Acho tão difícil dizer isso da minha própria festa (risos). Mas acredito que é esse clima descontraído sem ser "bagunça". Na FunFarra todo mundo dança feliz, encontra amigos, amigos dos amigos que acabam virando amigos, e volta pra casa depois que o dia clareou com a alma leve. Ficou meio cafona a explicação, né? (risos), mas é mais ou menos por aí.

Seu gosto tem a ver com o que você toca na pista?
Sim, claro. O repertório da festa partiu de uma ideia do que eu imaginava que seria uma festa onde eu fosse me divertir. E com o tempo, os DJs que tocam comigo e são residentes na FunFarra, o Matheus Puertas e o Yugo, trouxeram ainda mais personalidade para esse conjunto.

Geralmente qual é o ápice da noite, qual o set que mais causa frisson?
A gente passeia um bocado, entre o pop clássico dos anos 90, rock, um pouquinho do universo mais alternativo... Mas acho que quando chega a hora das bandas "felizes" dos anos 90, Backstreet Boys, N'Sync, junto com Britney e Spice Girls e tal, tem gente que delira.

Qual o público da festa funfarra?
Como eu sou ator e diretor e o Giba e o Beto são produtores, temos muita gente da classe artística que frequenta. Mas qualquer um que queira se divertir esperando o inesperado a pista sai de lá feliz. Pode ser advogada ou astronauta. Temos tido uma variação na frequência mais ou menos nessa amplitude.

Já que ela foi para SP, como foi a receptividade, visto que a cidade que tem a fama de ter as melhores festas?
Olha, nossa primeira edição em Sampa City superou as melhores expectativas de todos os envolvidos. Lotamos o Cine Joia que é uma casa linda e grande, e todo mundo dançou a noite inteira. Foi uma tremenda realização. Talvez tenha sido uma das melhores noites da minha vida e estamos organizando tudo para voltar para lá o mais rápido possível.

Em sua opinião, o que não pode faltar para que uma festa seja um sucesso?
Organização, música boa e gente bacana.

Deixe um recado para os leitores da TimeOut que ainda não conhecem a festa.
Bom, fica meu convite para que venham conhecer a FunFarra e se divertir com a gente. Tenho certeza que quem vier com vontade de ser feliz, vai se sentir em casa. Não percam a próxima edição da Funfarra, dia 12 de maio.

Escrito por Time Out Rio de Janeiro editors
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus

Outras notícias recomendadas

Dia das Mães 2017

Páscoa 2017 no Rio

5 novos bares e restaurantes no Rio