Time Out Rio de Janeiro

Lendas da Lei Seca

Histórias inusitadas para fugir da multa na blitz

Depois dela, a noite carioca nunca mais foi a mesma... E não estamos falando de nenhuma festa. Aprovada em 2008, a Lei Seca mudou os hábitos dos cariocas. Agora, beber e dirigir, além de ser uma combinação perigosa, pode resultar em uma multa pesada, suspensão da carteira de motorista e até a prisão para quem for pego bem acima da quantidade permitida por lei no teste do bafômetro.

Como não poderia ser diferente, sempre criativo, o carioca aprendeu algumas técnicas para driblar a fiscalização. A Time Out Rio conheceu alguns casos engraçados de pessoas que tentaram escapar da temida Lei Seca. Os personagens aqui não foram identificados simplesmente por vergonha de suas histórias. Apesar do conteúdo engraçado e das possíveis "deixas" para você, a Time Out Rio adverte: se dirigir não beba e se beber não dirija.

Que Lua Branca é aquela?
Amigos um pouco "alterados" estavam voltando de uma casa de shows na Baixada e avistaram uma enorme lua branca no céu. Chegando mais próximo repararam que a tal lua branca tinha as palavras "Lei Seca". Resultado da história: multa de R$957 e o carro rebocado.

A Yoga salvadora
Dois mineiros no Rio resolveram beber até dizer chega e, em seguida, pegaram o carro. Bastante alegres e pouco conhecedores da fiscalização no Rio, acharam estranho aquele "circo" todo montado até que lembraram da dica de um amigo carioca: "cuidado com a Lei Seca". Temeroso, o motorista iniciou uma respiração de Yoga para "limpar o álcool do sangue". Se é lenda urbana ou não, não sabemos, mas diz o motorista que a respiração deu certo e o bafômetro nem sentiu as cervejas. No dia seguinte, o mineiro ligou para seu professor de Yoga e agradeceu: "finalmente me iluminei com a Yoga!".

A culpa é do tarja preta
Parado numa blitz da Lei Seca, um cantor de um grupo de pagode de bairro (sem muita expressão) encosta o carro. Um pouco alcoolizado, mas o suficiente para tomar uma bela multa e ter a carteira apreendida, ele solta a seguinte frase para o fiscal: "Doutor, eu não bebi, estou sob efeito de alguns remédios tarja preta", tentando bancar o esperto. O fiscal, com um leve sorriso no rosto, dispara: "Você sabia que dirigir sob efeito de medicamentos antidepressivos ou relaxantes rende multa?". Não colou.

Chama a ambulância
Um professor de Educação Física voltava de uma festa pela Avenida Presidente Vargas, no sentido Praça da Bandeira, quando viu de longe a Lei Seca. Sozinho, ele parou o carro e chamou uma ambulância do plano de saúde. Alegou que estava passando muito mal e foi parar em um hospital da região. Resultado: tomou um antitérmico, após o médico verificar uma ligeira elevação da temperatura e ansiedade. Conseguiu, por pouco, escapar da multa! "Antes um remedinho do que ficar sem o carro", disse.

A namorada fora da lei
Quando há um carona dentro do carro, driblar a Lei Seca se torna mais fácil. Mas e quando o carona não sabe dirigir? Um estudante de engenharia resolveu sair para beber com a namorada e percebeu uma fiscalização da Lei Seca à frente. Ele fala para a namorada assumir rapidamente o volante. Nervosa, a menina vai guiando o carro até que, com o fluxo parado, ela é obrigada a frear e colocar no ponto morto. Quando a "motorista" tenta engatar a primeira marcha, o carro morre. Segundos e mais segundos de tensão e alguns olhares desconfiados dos fiscais da Lei Seca, que surpreendentemente deixaram o veículo passar. Passado o susto, vem finalmente a confissão da menina: "Comprei minha habilitação!".

Escrito por Ramiro Costa
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus

Outras notícias recomendadas

Hair & Beauty 2016

Boulevard Olímpico

Baixo Suíça reabre com tecnologia para deficientes