Time Out Rio de Janeiro

Ale Youssef aterriza no Rio

A casa de São Paulo, reduto de novas bandas como CSS e Bonde do Role, aporta na cidade e planeja revitalizar o Jazz e destacar novos sons 

Mudanças estão em andamento na cena musical do Rio de Janeiro. Eventos techno no Morro da Urca e Jazz ao vivo, causando buzz na Lapa são apenas alguns exemplos. Um grupo de empresários está trazendo bandas para a cidade com os shows pagos antecipadamente pelos fãs. A música sempre foi o Rio, e o Rio sempre foi a música, mas há algo em andamento, sacudindo o mapa sonoro da cidade.

Seguindo o efeito “Copa e Olimpíadas”,  a chegada de um novo local dedicado à descoberta, ao apoio e à divulgação da música nova não poderia ter tido melhor sincronia.

Integrantes do movimento de rejuvenescimento da cena musical paulista, na última década, Ale Yousseff e seu sócio Maurizio Longobardi revelaram uma nova gama de músicos como a banda Cansei de Ser Sexy (CSS) e o Bonde do Role, exportados com sucesso para o exterior, a partir do Studio SP. Agora, a equipe por trás da contraparte carioca, o Studio RJ, promete fazer você ouvir guitarras e amplificadores igualmente ligados aos novos talentos.

Ale Yousseff já tem influenciado as mentes cariocas nos últimos três anos, com três jam sessions de verão realizadas em três locais diferentes: Cinemathéque Botafogo (RIP), em 2009, Teatro Odisséia, na Lapa, em 2010, e Teatro Rival, no Centro, em 2011. A partir do sucesso destes eventos, o solo carioca mostrou sinais de ser verdadeiramente fértil para a chegada do Studio RJ , "Temos a sensação de que o que tínhamos planejado seria bem recebido aqui."

E como estavam certos! Inaugurado em Outubro e agora firmemente arraigado no Arpoador, o novo espaço abriu com um rugido quente de aprovação de todos os lados, incluindo os mestres de jazz, que se reuniam no mesmo local nos anos 1980 e 90, e agora graças ao renascimento semanal do evento Jazzmania, voltam a ter sua sede para o jazz nas noites de terça-feira, que abre a programação musical semanal da casa.

"É uma honra para nós assumir o lugar onde o Jazzmania histórico existiu uma vez... Agora, queremos abrir o espaço para a nova cena do jazz", continua Yousseff.

O original Studio SP se tornou sinônimo de onda emergente de novas bandas de sucesso no meio da última década, abrindo espaço, em meio a uma cena musical muitas vezes  marginalizada do baixo Augusta, em São Paulo.

"O Studio SP foi projetado para reunir a cena artística verdadeira da cidade, que tinha, até então, pouco apoio e para que pudessem encontrar naquele espaço um ponto de referência para a nova música e arte urbana"

Será este mesmo modelo que reinará por aqui, contando com várias bandas residentes, num formato que trará Orquestra Voadora e Sargento Pimenta tocando regularmente.

"Nosso sucesso foi baseado em uma economia "autosustentável e micro-construída" em torno dos artistas, do local e do público. Há uma série de mitos sobre as diferenças entre Rio e São Paulo, mas quando nós começamos lá também era difícil fazer com que as pessoas saíssem regularmente durante a semana. Mas vamos fazer aqui o que fizemos lá, dar às pessoas a oportunidade de apreciar grandes bandas independentes. Eu acredito que, no final, as coisas acontecerão naturalmente quando você tem o tipo de estrutura que temos posto em prática aqui. "

Tenha ou não o efeito arrebatador sobre a cena musical carioca, é justo e em muito boa hora o nascimento de um cantinho que se aproprie da história musical do Arpoador, misturando novamente bandas ao vivo, surfistas, playboys e artistas num único lugar à beira mar.

Escrito por Doug Gray
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus

Outras notícias recomendadas

Hair & Beauty 2016

Boulevard Olímpico

Baixo Suíça reabre com tecnologia para deficientes