Time Out Rio de Janeiro

Alessandra Spossetti

Aulas de culinária com uma autêntica mama italiana

Muitas pessoas com paixão pela cozinha pensam em perseguir este sonho como projeto de vida, até que a realidade da panela de pressão de uma cozinha comercial vira uma "bomba despertador".

Mas para a italiana de 43 anos, amorosa mãe-de-dois, Alessandra Sposetti, a ideia de abrir um restaurante nunca foi um apelo real. Alessandra trabalhou na super competitiva indústria da moda de Milão por vários anos, até se mudar para o Rio.

Ela procurou uma saída alternativa e criativa para se virar e começou a dar aulas de culinária italiana na sua cozinha de casa, no Leblon.

"Eu não estava gostando do meu trabalho quando um amigo sugeriu que eu começasse as aulas de culinária. Eu simplesmente amava cozinhar e não tinha necessidade de ganhar muito dinheiro, então eu fiz uma tentativa."

Na primeira aula, em maio de 2010, reuniu uma mistura de brasileiros e estrangeiros amigos-de-amigos. Alessandra admite que estava tímida no início, mas logo se encontrou no papel de professora.

"Não havia exemplo a ser seguido, então eu inventei meu próprio jeito de trabalhar, e isso fez-me sentir incrivelmente livre ", diz ela, na mesa de sua cozinha maravilhosamente moderna, plana e aberta.

Ela ensina até seis pessoas a cozinhar pratos complexos em sua própria casa e apresenta desafios, mas o essencial é não se importar em ter estranhos indo e vindo.

"As aulas começam às 20h para o meu marido cuidar dos filhos e, em seguida, vem ajudar a lavar, quando eles estão dormindo. Felizmente todas as pessoas têm sido muito legais. Mas uma vez um cara veio até a porta, apenas segurando um guarda-chuva e, à primeira vista eu pensei que era uma pistola e entrarei em pânico!"

Pelo fato de ser italiana, as aulas invariavelmente se transformam em um evento social e, apesar do casal tentar esvaziar a casa à meia-noite, nem sempre é fácil se "livrar" dos convidados, um problema inerente a trabalhar em casa. Além disso, é um negócio em que não se faz nenhuma fortuna. 

"Eu não faço um monte de dinheiro, mas os jantares são ótimos para mim, mas é claro que não é nada fácil. Eu tenho que pesquisar as receitas, ser a relações públicas todo o tempo e ser mãe. Houve uma época em que eu estava dando três aulas por semana, mas não era sustentável. "

Ferramentas como Facebook claramente ajudom empresas a espalharem sua influência, ganhar impulso e clientes, provocando uma onda de espírito empreendedor que arde fortemente em Alessandra.

"O Facebook foi uma grande ajuda porque eu não preciso de um site ou mesmo um blog - eu apenas envio as fotos da minha comida e as pessoas ficam imediatamente interessadas!"

As aulas foram adaptadas para sua clientela brasileira e sempre incluem sobremesas. Mas há uma composição verdadeiramente internacional em torno das panelas e frigideiras: tem australianos, brasileiros, inglês e holandês.

Os cursos têm nível básico ou especializado, e o último incorporou especialidades regionais para risotos e, claro, menus sazonais.

"As feiras orgânicas são uma grande fonte de ingredientes, mas às vezes é necesseario ir ao supermercado para os produtos importadas. O ponto do curso é que tudo é possível recriar em casa e tudo pode ser comprado facilmente pelos alunos."

Com ideias novas na manga, incluindo menus "surpresa" e um curso no Ateliê das Idéias, no Humaitá, Alessandra parece destinada a aumentar a paixão pela comida que ela faz.

www.facebook.com / alessandra.sposetti

Escrito por Doug Gray
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus

Outras notícias recomendadas

Hair & Beauty 2016

Boulevard Olímpico

Baixo Suíça reabre com tecnologia para deficientes