Time Out Rio de Janeiro

Paris

Para uma noite impecável de requinte e alta gastronomia na Casa Julieta de Serpa

Paris

Preço de R$ 60 até R$ 120

Horário de funcionamento Ter-Sex, 12h-15h30 ; 19h- 0h Sáb, 19h-0h; Dom, 12h

Rua Praia do Flamengo, 34, Flamengo

Telefone (21) 2551-1278

Site de Paris

Quem conhece a pompa e o glamor da Casa Julieta de Serpa, um charmoso palacete tombado de 1920, conseguirá fazer uma boa imagem da sofisticação do seu novo restaurante. O Paris, vem contribuir para o hall de restaurantes de alta gastronomia carioca, com seu time altamente qualificado na cozinha, no bar e na pâtisserie francesa


O imóvel tem uma história de uma paixão: Carlos Alberto Serpa, apaixonado por arte, salvou o palacete, um dos imóveis mais bonitos do Rio, da britadeira em 2001 quando ele tinha sido vendido para uma construtora. Tombado pela Prefeitura, o imóvel perdeu interesse comercial, mas o empresário decidiu transformar a casa em espaço cultural homenageando sua mãe, Julieta de Serpa.


Com uma vista espetacular, localizado em frente a praia do Flamengo, quem chega aqui tem a impressão de que foi teletransportado para Paris.Logo na entrada, os vitrôs, portais e mármore provenientes da Europa surpreende qualquer um, mesmo que já tenha ouvido falar da fama deste lugar. No segundo andar, a decoração do restaurante é inspirada em salões simbólicos da gastronomia parisiense.

A ante sala foi transformada em um bar, decorado com quadros modernos, curtina de seda e sofás zebrados, na tentativa (um pouco frustrada) de tornar o ambiente mais moderno e descontraído.Mesmo assim, vale a pena uma parada no balcão para se entregar aos drinks elaborados com proeza pelos barman (que ganham aqui o exagerado nome de “mixologista”, acompanhando uma nova tendência na cidade para essa aparente nova arte). O bar é o primeiro na cidade a oferecer coquetéis elaborados com os sistemas de defumação de aromas, que exige equipamentos adequados. Drinques como Exotique – com Goose L’Orange, calvados, alecrim, suco de limão e mel de agave – e uma nova apresentação do famoso Dry Martini – com Noilly Prat, Bombay Sapphire e perfume de azeitona – são boas pedidas.

“A gastronomia também é uma arte” para Serpa, que convidou o chef Pierre Landry, que comandou o tradicionalíssimo e legendário Le Saint-Honoré,
restaurante do Hotel Meridien, para comandar a cozinha.
Para começar, Profiteroles de foie gras com creme de trufas do Périgord (R$ 48) e Salmão curado “à moda sashimi”, lascas de maçã verde, mousse de wasabi e brotos de ervas (R$ 45) são algumas das opções. Entre as estrelas do menu, Filé mignon grelhado, batatas Pont-Neuf e molho Béarnaise (R$64), Filhote do Amazonas em crosta de farinha d’agua e farofa de bacon, bolas de sagu e emulsão de tucupi (R72) e Conchiglione recheado de camarões, ragú de pequenos legumes provençais e pesto de rúcula.

O sommelier também é figura renomada na cidade, Paulo Nocolay, que colocará ao seu dispor bons rótulos franceses e nomes poucos conhecidos no mercado brasileiro, como vinhos do Líbano, da Grécia, da Áustria, biodinâmicos e Kosher, tornam a lista de mais de 170 rótulos eclética.

A patissièrie está nas mãos dos chefs Maurício Ferreira e Bárbara Castro, com passagens pelo Fasano. Os docinhos são quase uma obra de arte e vem servidos em um tentador carrinho de sobremesas, totalmente indispensável para o “cerise sur le gateau” da noite.
As escolhas certas são o clássico Mil folhas de praliné, feito com perfeição (R$25) ou a Torta de frutas vermelhas (R$33).

O preço aqui não é barato, mas certamente justo, para a qualidade dos pratos (equação nem sempre respeitada por tantos outros restaurantes da cidade com menor qualidade e preços equivalentes).

28 Mar 2013.

Escrito por Alice Kuntz Moura
Compartilhe

Mapa


     Se o mapa ou detalhes deste estabelecimento estão incorretos, entre em contato

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus