Time Out Rio de Janeiro

Havana Café

 'Havana Café' revive o eterno cabaret num espetáculo bem ao estilo burlesco 

Este evento terminou

Havana Café

Preço de R$ 20 até R$ 40Agendamento grupos: ensaioaberto.publico@gmail.com

Data 27 Jun 2012-29 Jul 2012

Horário de funcionamento sextas e sábados às 22h e domingos às 19h

Telefone 2516-4893 / 2516-489

Site de Havana Café

Armazém 6 – Cais do Porto
Armazém 6 - Cais do Porto
Av. Rodrigues Alves, s/n – Centro , Centro

Telefone 2516-4893 / 2516-489

Luzes baixas, fumaça no ar, mesinhas e cadeiras alinhadas em volta do bar onde um ágil barman alinha copos, separa frutas para coquetéis e se prepara para mais uma noite de Havana Café. O espetáculo, dirigido por Luiz Fernando Lobo, reúne teatro, dança e música, uma peça apresentada pela Companhia Ensaio Aberto, que leva a audiência numa viagem aos cabarets dos anos 20 do século passado.

Na entrada um prestável e rechonchudo senhor, de rosto e sobrancelhas tão pintadas que faz lembrar os vilões dos filmes de Charlie Chaplin, recebe e vai sentando os espectadores em cada mesa. Desfilando pelo espaço estão já as garçonetes atendendo os pedidos dos clientes que acabam de chegar. O pano vermelho bem de frente para o bar aguça a curiosidade que rapidamente dá lugar à entrada triunfante de cada uma das protagonistas da noite, sacudindo seus corpos de lúxuria e roupas brilhantes entre a audiência, enquanto lançam nuvens de fumaça de boquilhas longas de cigarro.

O primeiro corpo nu em cena é uma surpresa. A dona do corpo bem torneado aparece num contraluz, protegida por um pano branco que deixa a audiência apenas ver seus contornos, sua doce silhueta durante toda a canção até que o mestre de cerimônias da casa finalmente revela, tirando o pano: a garçonete! A mesma que acabara de servir copos de pro-seco e dry martini, quando a audiência nem percebe, lá está, em cima do palco em todo seu esplendor.

A ação se desenrola em todo o espaço, no meio de muita cor, figurinos ricos e diálogos que remetem a paixões perdidas, sonhos, solidão e vícios da noite, tudo bem coordenado pelo anfitrião de sobrancelhas pintadas que recebera o público bem no começo. Ele manda e desmanda suas meninas de cabaret, enquanto escuta também os monólogos de um pobre cliente que deambula pela casa, de mesa em mesa, cantando seus infortúnios de uma vida vazia.

Havana Café, em cartaz no porto da cidade, recria bem o ambiente de cabaret, com cores quentes, brilhos, rendas, lantejolas, vozes bem afinadas e corpos bem esculpidos (na verdade, o elenco tem corpos para todos os gostos, desde altas e esbeltas ao tipo bem gostosa) e claro, bem despidos como em todo e bom cabaret. Cada uma canta os seus desabafos de drink na mão, exibindo suas curvas, seus atributos em poses sensuais e provocantes, fitando os olhos dos espectadores que vão seguindo cada uma delas assim que a voz ecoa de cada canto do cabaret recriado.

O show promete arrancar gargalhadas e até convida o público a dar o ar da sua graça entonando algumas frases repetidas em conjunto. Reina o ambiente de um verdadeiro cabaret, num espetáculo embalado pela música tocada ao vivo por três músicos no saxofone, piano e contrabaixo, entre rumbas, boleros e mambos norte-americanos. Uma noite animada, uma viagem a um cabaret que vale a pena conferir.

Escrito por Sílvia Garcia
Compartilhe

Mapa


     Se o mapa ou detalhes deste estabelecimento estão incorretos, entre em contato

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus