Obsessão Infinita

22 Jul 2014-27 Jul 2014

Divulgação
Infinity Mirror Room
A artista Yayoi Kusama em sua obra 'Infinity Mirror Room', de 1963

Este evento terminou

Primeira exposição no país de Yayoi Kusama, uma das artistas mais originais e inventivas do pós-guerra, Obsessão Infinita oferece um panorama do trabalho da japonesa por meio de aproximadamente 100 obras que cobrem o período de 1949 a 2012, entre as quais pinturas, trabalhos em papel, esculturas, vídeos, apresentação de slides e instalações, entre elas a famosa 'Dots Obsession'.

​A mostra traça a trajetória d​e Kusama do privado ao público, da pintura à performance, do ateliê às ruas. A artista nasceu na cidade de Matsumoto, Japão, em 1929. Começou a realizar seus trabalhos poéticos e semi-abstratos em papel nos anos 1940, antes de iniciar sua celebrada série “Infinity Net”, no final dos anos 1950 e início dos 1960. Essas pinturas originais são caracterizadas pela repetição obsessiva de pequenos arcos pintados, aglutinados em padrões rítmicos maiores. Sua mudança para Nova York, em 1957, foi um divisor de águas para ela, que entrou em contato com Donald Judd, Andy Warhol, Claes Oldenberg e Joseph Cornell. Sua prática de pintura abriu caminho para esculturas delicadas, conhecidas como 'Accumulations' e, em seguida, para performances e happenings que se tornaram marca registrada da subcultura marginal e renderam, para a artista, notoriedade e a atenção das principais correntes críticas de então.

Em 1973 Kusama retornou ao Japão e, desde 1977, vive voluntariamente em uma instituição psiquiátrica. O caráter psicológico singular e pronunciado de seu trabalho sempre foi combinado com uma generosa dose de reinvenção e inovação formal, o que lhe permite dividir sua visão única com um público mais amplo, através do espaço infinitamente espelhado e da repetição obsessiva de pontos que caracteriza sua obra. Em seus trabalhos mais recentes, a artista renovou o contato com seus instintos mais radicais em instalações imersivas e colaborativas – peças que fizeram dela, com justiça, a artista viva mais celebrada do Japão.

Depois de passar por Rio de Janeiro e Brasília, a exposição chega a cidade acrescida de duas obras, duas grandes esculturas das séries 'Accumulations': 'Sem título' (1962-1963) e 'Desire for Death' (1975-1976). Em ambas, objetos do cotidiano tornam-se palco para a projeção de obsessões particulares da artista, à medida que a repetição compulsiva do elemento tecido assume a aparência de um crescimento incontrolável, similar ao dos vegetais.

A primeira foi foi destaque na retrospectiva de Kusama na Tate Modern, em 2011/12, e é composta por dez pares de sapatos femininos, de salto alto, repletos de formas fálicas feitas de tecido estofado, que fizeram sua primeira aparição na série de esculturas Sex Obsession da década de 1960. Já em 'Desejo de Morte', agrupamentos de apêndices, que nada mais são que formas excêntricas em tecido pintadas de prateado, emergem de panelas comuns e conchas de cozinha.

Serviço

Instituto Tomie Ohtake


Endereço Av. Faria Lima, 201

Pinheiros, São Paulo

Telefone (11) 2245-1900

Site de Instituto Tomie Ohtake

Data 22 Jul 2014-27 Jul 2014

Horário de abertura Ter. a dom., 11h-20h.

Mapa


     Se o mapa ou detalhes deste estabelecimento estão incorretos, entre em contato

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus
 

© 2011 - 2016 Time Out Group Ltd. All rights reserved. All material on this site is © Time Out.