A mão do povo brasileiro - 1969/2016

20-25 Set

Divulgação

A Exposição recupera as principais ideias da mostra homônima concebida e organizada por Lina Bo Bardi para a inauguração ao público do edifício do Masp, em abril de 1969. Na ocasião, foram exibidos 2 mil objetos que evidenciavam a rica cultura material do Brasil, desde as regiões do sertão do nordeste até o sul do país.

Na nova configuração, no entanto, não se pretende realizar uma reconstituição, tampouco uma atualização com objetos recentes, mas sim uma reencenação, com cerca de mil objetos históricos, datados antes de 1969 e classificados em tipologias similares às da exposição de Bo Bardi.

Com a colaboração do cineasta Glauber Rocha e do diretor de teatro Martim Gonçalves, Bo Bardi reuniu, no fim da década de 1960, uma miríade de objetos trazidos do Museu de Arte da Universidade do Ceará, do Museu do Estado da Bahia, do Museu de Artes e Técnicas Populares de São Paulo e de colecionadores particulares. Eram carrancas, ex-votos, santos, tecidos, peças de vestuário, mobiliário, ferramentas, utensílios de cozinha, instrumentos musicais, adornos, brinquedos, figuras religiosas, bem como pinturas e esculturas.

A nova mostra está organizada a partir das mesmas tipologias, com objetos dispostos de forma parecida, em conjuntos análogos. Das mil peças apresentadas, no entanto, apenas 55 integraram a exposição original de Bo Bardi e são novamente exibidas. Entre elas, estão: São Jorge articulado, Bom Jesus de Iguape, Senhor Morto (Cristo Articulado) e Nossa Senhora das Dores de vestir. O restante dos objetos são inéditos, entre os quais destacam-se recipientes de cerâmica, moendas, cestos de palha, joias de escrava, adereços indígenas, ferramentas de orixás, colheres de pau, bonecas de pano, prensas, cadeiras, arcas, boi de bumba-meu-boi, alambique, máscaras de carnaval, matrizes de xilogravura, colchas de retalho e santas de vestir.

A exposição apresenta ainda esculturas e pinturas de artistas autodidatas, que trabalharam à margem do circuito tradicional das artes, tais como Agnaldo dos Santos, Agostinho Batista de Freitas, Aurelino dos Santos, Cardosinho, Emídio de Souza, José Antônio da Silva, Madalena dos Santos Reinbolt, Manezinho Araújo, Mestre Vitalino, Mudinho, Rafael Borges de Oliveira e Zé Caboclo.

Filmes
Como complemento à exposição, o Masp também exibe filmes a fim de contextualizar a mostra na complexa paisagem cultural dos anos 1960, e suas revoltas sociais e políticas. São títulos produzidos sobretudo entre as décadas de 1950 e 1970, que aprofundam reflexões propostas na exposição. A seleção traz curtas-metragens dirigidos por cineastas como Lygia Pape, Leon Hirszman, Humberto Mauro, Thomas Farkas, Paulo Gil Soares, Sérgio Muniz, Geraldo Sarno, entre outros. As sessões no pequeno auditório são gratuitas e acontecem de 17 de setembro a 27 de novembro.

Tags: 

Serviço

Masp


Endereço Av. Paulista, 1578

Bela Vista, São Paulo

Estações próximas 2, Trianon-MASP

Telefone (11) 3251-5644

Site de Masp

Preço de R$ 12 até R$ 25

Data 20-25 Set

Datas alternativas 27 Set-02 Out, 04-09 Out, 11-16 Out, 18-23 Out, 25-30 Out, 01-06 Nov, 08-13 Nov, 15-20 Nov, 22-27 Nov, 29 Nov-04 Dez, 06-11 Dez, 13-18 Dez, 20-23 Dez, 27-30 Dez, 03 Jan 2017-08 Jan 2017, 10 Jan 2017-15 Jan 2017, 17 Jan 2017-22 Jan 2017, 24 Jan 2017-29 Jan 2017

Horário de abertura Ter. a dom., 10h-18h; qui., 10h-20h.

Mapa


     Se o mapa ou detalhes deste estabelecimento estão incorretos, entre em contato

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus
 

© 2011 - 2016 Time Out Group Ltd. All rights reserved. All material on this site is © Time Out.