Time Out São Paulo

Ocupação Laura Cardoso

Este evento terminou

Ocupação Laura Cardoso

Data 13 Mar-30 Abr

Horário de abertura Ter. a sex., 9h-20h; sáb., dom. e feriado, 11h-20h.

Avenida Paulista, 149, Jardim Paulista

Telefone (11) 2168 1700

Estações próximas
Metrô 2, Brigadeiro

Inspirado pelos mais de 70 anos dedicados por Laura Cardoso à arte de interpretar, o Itaú Cultural leva para dentro da Ocupação Laura Cardoso uma série de atividades. O espaço da mostra é montado como uma residência de três grandes cômodos, que, além das atividades, traz objetos e vídeos que contam a trajetória de Laura. Com a proposta de aproximar o público da trajetória da atriz por diferentes veículos, a programação traz leituras dramáticas de obras encenadas por ela, cada uma com direção de mulheres de diferentes gerações. O instituto apresenta, também, uma intervenção cênica inédita seguindo o formato da novela de rádio 'O Direito de Nascer'.

Leituras dramáticas
As sextas-feiras e sábados são dedicados às leituras dramáticas de obras encenadas por Laura, promovendo um encontro de diferentes gerações e mulheres de teatro na direção. A diretora Gabriela Mellão estreia a série nos dias 10 e 11 de março, com 'Casa de Bonecas', do dramaturgo norueguês Henrik Ibsen. Apresentada pela primeira vez em 1879, a peça provocou muita polêmica ao denunciar a exclusão das mulheres na sociedade burguesa, em um roteiro em que a personagem Nora Helmer abandona o marido e os filhos para partir em busca por sua identidade.

No Brasil, a obra foi encenada em 1958, no programa Grande Teatro Tupi, da TV Tupi, com tradução de Aderbal Freire Filho e Karl Erik Schollhammer. Nela, Laura Cardoso viveu o papel principal e seu marido na vida real, Fernando Balleroni, interpretou Torvald Helmer, casado com a protagonista.

'Antígona', de Sófocles, ganha leitura nos dias 17 e 18, com direção de Luciana Lyra. A tragédia grega composta por volta de 442 aC, traz a personagem-título, filha de Édipo e Jocasta, em guerra com Creonte, rei de Tebas. Ao querer enterrar o irmão Polinice, de acordo com a sua religião, ela entra em choque com o monarca, que ordena o não sepultamento do corpo. Laura participou da montagem de 1966, com direção de Benjamin Cattan e Aracy Balabanian como protagonista.

Nos dias 24 e 25, Denise Weinberg dirige a leitura de 'Outono, Inverno', peça do sueco Lars Norén, cuja montagem brasileira dirigida por Eduardo Tolentino em 2006 teve em cena a própria Denise ao lado de Laura. O texto traduzido por Leon Rabelo é uma comédia sobre uma família à beira de um colapso coletivo. Eles tentam desesperadamente recuperar a solidariedade uns com os outros, já que ódio e acusações nunca são maiores do que a saudade e amor um pelo outro.

Único texto de teatro escrito por Federico García Lorca em prosa, 'A Casa de Bernarda Alba', ganha em 31 de março e 1 de abril a leitura dramática assinada pela diretora Maria Thaís. Nesta investida de Lorca no teatro, Bernarda Alba é uma matriarca dominadora que mantém as filhas Angústias, Madalena, Martírio, Amélia e Adela sob total vigilância, o que acaba transformando a casa onde vivem, em um pequeno povoado espanhol, em um caldeirão de tensões prestes a explodir a qualquer momento.

Em abril, a programação segue com o roteiro cinematográfico de 'Terra Estrangeira' nos dias 7 e 8. Com direção de Naruna Costa, a leitura dramática leva à Ocupação Laura Cardoso a trama do filme de Daniela Thomas, Walter Salles e Marcos Bernstein lançado em 1995, na qual a atriz interpretou Manuela, imigrante espanhola que morre ao perder todas as suas economias em decorrência do confisco promovido pelo então presidente Fernando Collor. A situação coloca seu filho Paco em uma tramoia para conseguir dinheiro e conhecer a terra de sua mãe.

O clássico 'Vereda da Salvação', de Jorge Andrade, ganha leitura nos dias 14 e 15 de abril, com a direção de Malú Bazán. Peça que em 1993 teve montagem sob direção de Antunes filho e que rendeu um Prêmio Shell a Laura Cardoso, aborda o conflito de terras, a miséria e o fanatismo religioso, apresentando a história de trabalhadores que estão prestes a participar de uma peregrinação religiosa, antes da qual é necessário que todos confessem seus pecados.

A última sessão acontece em 21 e 22 de abril, com 'Vem Buscar-me que Ainda Sou Teu', texto de Carlos Alberto Soffredini, com a qual Laura ganhou o seu primeiro prêmio Shell, em 1990 e nesta programação tem direção Renata Soffredini, filha do autor. Para escreve-la, Sofredini se baseou em um trecho da montagem de circo-teatro Coração Materno, escrita por Alfredo Viviani, e na métrica e na rima da canção homônima, de Vicente Celestino. Vem Buscar-me... narra o dia a dia de uma quase falida companhia mambembe, que tem em seu repertório de representações justamente a peça de Viviani.

Radionovela
Nas terças-feiras dias 14 e 21 de março, e 4, 11, 18 e 25 de abril, sempre às 19h, a Ocupação Laura Cardoso vira cenário para uma representação cênicas inspirada na radionovela O Direito de Cantar. Trata-se de uma encenação com 20 minutos de duração que homenageia a época de ouro da radionovela brasileira – revelando seus bastidores –, inspirada em 'O Direito de Nascer', novela de 1964, que teve participação de Laura Cardoso.

Em 'O Direito de Cantar', Lívia Lisboa, Priscila Oliveira e Diego Rodda interpretam duas atrizes aspirantes e um grande ator já renomado, que dividem o microfone, os sonhos de fama e sinceras intenções amorosas. A trama é conduzida em um jogo de ciúmes correspondente entre novela e bastidores, regada a músicas, cartas dos ouvintes, sedução, intrigas, revelações, mágoas, emoções à flor da pele e, principalmente, o confronto entre o que se diz – e o que se ouve.

Escrito por Time Out São Paulo editors
Compartilhe

Mapa


     Se o mapa ou detalhes deste estabelecimento estão incorretos, entre em contato

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus