Time Out São Paulo

SP-Arte 2017

Este evento terminou

SP-Arte 2017

Preço de R$ 45 até R$ 20

Data 06-09 Abr

Horário de abertura Qui. a sáb., 13h-21h; dom., 11h-19h.

Avenida Pedro Álvares Cabral, s/n, Portão 3, Parque do Ibirapuera

Telefone (11) 5576 7600

A 13ª edição da SP-Arte – Festival Internacional de Arte de São Paulo, segue com a mesma quantidade de participantes do ano passado. São mais de 130 galerias de arte moderna e contemporânea do Brasil e do mundo. O foco do evento está na venda de obras, o que atrai galerias de todos os cantos do planeta na esperança de comercializar seus trabalhos.

“O nosso trabalho, ao longo de mais de uma década, foi sempre no sentido de democratizar o acesso à arte, trabalhando pela formação de novos apreciadores e colecionadores, fazendo circular ideias e informações, divulgando eventos e exposições, criando prêmios de incentivo e ações como o Gallery Night, que têm como foco ocupar a cidade com arte e convidar o público a transitar por bairros paulistanos, visitando galerias e museus”, afirma Fernanda Feitosa, diretora e fundadora da SP-Arte.

A experiência pode ser bem eclética: basta andar por entre os estandes, observando a agitação em torno das galerias cujos artistas estão em ascensão e o desespero dos galeristas menos afortunados, condenados a passar quatro dias no abandono, andando de um lado para o outro na frente de seus estandes.

Mas não se deixe enganar: muita coisa acontece nos bastidores, inclusive centenas de vendas – algumas na casa dos muitos milhares de reais. Isso sem falar dos vários coquetéis, brunches e visitas privativas, organizados para os visitantes VIP. E, ao contrário da São Paulo Fashion Week, há toneladas de coisas para ver e fazer na SP-Arte, mesmo que você não esteja por dentro nem tenha rios de dinheiro para gastar (fora a relativamente salgada entrada de R$ 40).

De Londres, participaram, entre outras, as galerias Lisson, Stephen Friedman e White Cube. Da Itália vêm as galerias Franco Noero, Continua e Cardi. Uma das cidades mais vibrantes da cena contemporânea, Berlim, esta representada por galerias como neugerriemschneider e Gregor Podnar. Da América Latina, nomes como Collage Habana (Havana), El Museo (Bogotá), kurimanzutto (Cidade do México)e Sur (Montevidéu). No campo nacional destacam-se galerias como Almeida e Dale, Bergamin & Gomide, Casa Triângulo, Dan, Fortes D'Aloia & Gabriel, Gustavo Rebello, Luciana Brito, Luisa Strina, Mendes Wood DM, Millan, Paulo Kuczynski, Pinakotheke e Vermelho.

Novas galerias
Na edição de 2017 estreiam de 20 galerias do Brasil e do exterior no Pavilhão da Bienal.
As galerias Taka Ishii, do Japão, e a londrina White Rainbow são especializadas em arte japonesa e dão destaque em seus estandes à fotografia do país. Outro destaque é a berlinense KOW. Também participa pela primeira vez a galeria Cheim&Read, de Nova York, que traz três artistas mulheres centrais na arte da metade do século XX: Louise Bourgeois, Lynda Benglis e Joan Mitchell. Entre as estreias italianas: Studio d'Arte Campaiola, de Roma, especializada em arte moderna e contemporânea; a P420, de Bolonha, e a Paci Contemporary, de Brescia. De Portugal saem três novas galerias: a Francisco Fino e a Madragoa, de Lisboa, e a Kubikgallery, do Porto, além de retornarem Baginski e Filomena Soares.

Confira a programação de debates, lançamentos de livros e apresentações no site sp-arte.com.

Escrito por Time Out São Paulo editors
Compartilhe

Mapa


     Se o mapa ou detalhes deste estabelecimento estão incorretos, entre em contato

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus