Corpos Presentes - Antony Gormley

Antony Gormley volta ao Brasil para uma retrospectiva de sua obra. De quebra, suas esculturas também aparecem em uma mostra temporária adicional, diz Claire Rigby

James Ewing / Cortesia White Cube

Passe pelo Vale do Anhangabaú em um dia ensolarado e você verá muitas pessoas aproveitando ao máximo este trecho no coração da cidade – seja tomando um pouco de sol ou só passando por ali, longe do trânsito, e até mesmo preparando uma refeição simples, no caso de alguns que fizeram do espaço sua casa, embaixo do Viaduto do Chá.

Nos meses de maio e junho deve haver ainda mais movimento nesse trecho de calçadão pavimentado do Centro. Parte de uma ampla exposição, ‘Corpos Presentes’, do artista britânico Antony Gormley, a instalação Event Horizon terá 31 esculturas de homens nus em tamanho real, distribuídas pelo Vale e colocadas mais acima, nos beirais dos prédios vizinhos. “Quando criei a instalação em Londres, a reação do público foi extraordinária”, disse o artista em entrevista ao New York Times, em 2010. “As pessoas paravam as outras na rua, apontando para o objeto. Grupos se juntavam rapidamente e tinham uma percepção do espaço público que nunca haviam tido antes.” Em Nova York, gente bem intencionada teria chamado a polícia durante a instalação, achando que as estátuas eram pessoas de verdade que queriam pular dos beirais.

Criadas em ferro e fibra de vidro, as esculturas são baseadas no próprio corpo de Gormley e fazem parte da primeira mostra individual na América Latina do artista, vencedor do Prêmio Turner. No Reino Unido, ele é conhecido por sua obra Angel of the North – uma escultura de aço de 20 metros de altura colocada em uma colina isolada na cidade de Gateshead, próximo a Newcastle, ao norte do país.

Concentrada no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), a um pulo do Vale do Anhangabaú, a imensa exposição deve ocupar todos os três andares, além do porão do prédio. Depois, segue para o Rio, em meados de julho, e Brasília. A mostra inclui fotos, vídeos e gravuras, e ainda esculturas e obras mais conceituais, como Breathing Room, cuja experiência ele descreveu para a Time Out London, em 2010: “O expectador desce as escadas na escuridão total e é confrontado por uma descrição do espaço em uma perspectiva muito estranha, com linhas azuis luminescentes. Fica a dúvida: será um holograma, será uma projeção, será real?”

Na tentativa de matar dois coelhos com uma única cajadada, a galeria de Gormley, a prestigiada White Cube, de Londres, que estará participando ao mesmo tempo da SP-Arte (em Arte), ocupou um grande galpão na região da Vila Mariana, na zona sul da cidade, para criar uma galeria temporária cheia de novas obras do artista, em uma mostra chamada ‘Fatos e Sistemas’.
De volta ao CCBB, centenas de figuras de cerâmica, com tamanhos que vão de 4 a 40 centímetros, formam a obra Amazonian Field, talvez o mais tropical dos trabalhos expostos. A obra – na qual 24 mil minúsculos humanóides grudados ao chão formam um mar de gente, em parte engraçados, com traços grosseiros e formas esculpidas apressadamente, em parte constrangedores, com um olhar de súplica – foi exibida no Brasil pela primeira vez há 20 anos, quando Gormley foi contratado para produzi-la para a ECO 92, a Conferência Mundial para o Meio Ambiente e Desenvolvimento organizada pelas Nações Unidas. Antes disso, a obra foi criada pela primeira vez no México e, depois, reproduzida em uma série de países, tais como Suécia, China, Japão, Austrália e, finalmente, no Reino Unido, onde ganhou o Prêmio Turner.

Com tantos detalhes e proporções minúsculas, em contraposição à imensidão e imponência de Angel of the North, o trabalho está em total sintonia com a Rio+20, a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável que acontece em junho este ano, como avaliação e continuação da Eco 92. Encostadas umas às outras, uma massa que misteriosamente forma um corpo só, as pessoinhas esculpidas olham para cima, diretamente para o expectador. Mas o que, afinal, significa isso? Em um depoimento que acompanhou a exibição da peça no British Museum em 2002, Gormley explicou sem rodeios: “Aqui estão espíritos dos ancestrais e espíritos dos que ainda não nasceram. Você é a camada consciente nesta estratificação da mente que chamamos e ser humano. E você, o que fará a respeito disso?”

CCBB R. Álvares Penteado, 112, Centro, 3113-3651. Ter. a dom., 9h-21h. Abre 12/5. Até 15/7. bb.com.br/cultura. White Cube R. Agostinho Rodrigues Filho, 550, Vila Clementino. 9/5 a 15/7. whitecube.com 

Escrito por Claire Rigby
Tags: 
 

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus
 

© 2011 - 2016 Time Out Group Ltd. All rights reserved. All material on this site is © Time Out.