Time Out São Paulo

Clube do uísque

Uma garrafa com seu nome

?Todo mundo sabe que os melhores bares são aqueles onde todos sabem seu nome – ou pelo menos alguém saiba. Se essa não for sua realidade, é um consolo saber que há bares onde seu nome pode estar em uma garrafa.

Essa é a ideia por trás do clube do uísque, uma tradição celebrada e que já virou mania em diversos bares de São Paulo, dos grã-finos aos sujinhos – é só procurar por uma fileira de garrafas com nomes escritos à caneta no rótulo ou em uma etiqueta. No Astor, na Vila Madalena, esse costume foi adotado com tanto gosto, que as paredes dos dois andares do foram tomadas por garrafas meio vazias (ou meio cheias?). No andar de cima, decorado como um boteco clássico, as garrafas brilhantes dividem espaço com fotografias da São Paulo de antigamente e cenas de filmes de gângster. No de baixo, no SubAstor, o clima é mais sedutor e sombrio, com paredes de veludo vermelho decoradas com garrafas de vodca, em vez de uísque, mais compatível com o ar intimista de lounge.

No Astor, uma garrafa de Johnnie Walker Red Label – uma das escolhas mais populares entre os sócios dos clubes de uísque, e promovido exaustivamente pela marca – custa R$165, enquanto que a garrafa de Ketel One sai por R$220. Por outro lado, uma única dose custa R$16,50 e R$22 respectivamente – e, como cada garrafa serve 19 doses, dá para economizar uma graninha. “É mais econômico comprar sua própria garrafa

Escrito por Time Out São Paulo editors
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus

Outras notícias recomendadas

Os filmes da semana – 01/12/2016

Ceia de Natal da Casa Santa Luzia

Rodízio de brigadeiro