No Limite do Amanhã: crítica do filme

3
Divulgação
Cena do filme 'No Limite de Amanhã'

Não é inverno até que você coma uma sopa de cebola quentinha ou que Tom Cruise tenha salvado o planeta. Aos 51 anos (mas aparentando 35), Cruise luta contra uma raça alienígena na ficção científica dirigida por Doug Liman, que mistura Feitiço do Tempo e Independence Day com sucesso. Por mais inacreditável que isso possa parecer!

Aqui, Cruise é Bill Cage, um oficial de RP do exército que é um covarde com sorriso de vendedor de carros usados. Depois de irritar o general errado, Cage é rebaixado e mandado para a linha de frente de uma batalha contra alienígenas que é crucial para o futuro da humanidade, e onde ele morre em menos de dois minutos. Mas – e é aqui que entra a parte Feitiço do Tempo – ele acorda em um loop temporal, forçado a lutar contra a mesma raça de invasores extraterrestres infinitas vezes. A cada dia, ele consegue sobreviver mais um pouco, e acaba se juntando à durona Rita Vrataski (Emily Blunt).

Doug Liman volta a apostar na realidade, como fez em A Identidade Bourne, mas neste caso, isso aconteceu possivelmente em detrimento dos efeitos especiais, que não são lá tão espetaculares. Quanto a Cruise, ele se sai excelentemente bem metade do filme. No modo covarde, ele parece roubar a cena do Tom Cruise que já conhecemos, o herói de ação. Ele transpira, geme e tem um olhar petreficado de medo que convence qualquer um. Mas aí começa a rotina “o herói dentro de cada um”, e ele passa ao piloto automatico, estragando o que era uma ótima atuação.

Escrito por Cath Clarke

No Limite do Amanhã: crítica do filme vídeo

Mais sobre No Limite do Amanhã: crítica do filme

Duração 113 minutes

País de origem EUA

Ano de produção 2014

Classificação Not available

Estreia 29 Mai 2014

Diretor Doug Liman

Elenco Tom Cruise, Emily Blunt, Bill Paxton.

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus
 

© 2011 - 2016 Time Out Group Ltd. All rights reserved. All material on this site is © Time Out.

powered by