Time Out São Paulo

Jersey Boys – Em Busca da Música: crítica do filme

Jersey Boys – Em Busca da Música: crítica do filme

Estreia 26 Jun 2014

Diretor Clint Eastwood

Elenco Christopher Walken, John Lloyd Young, Michael Lomenda, Vincent Piazza, Erich Bergen.

Imagine Os Bons Companheiros sem muito em risco, e você vai entender a adaptação agradável e esquecível de Clint Eastwood do musical, vencedor do prestigiado prêmio Tony em 2006, que conta a ascensão e queda do grupo Four Seasons. Como nos palcos, a história é contada por diferentes pontos de vista dos membros originais do quarteto: Frankie Valli (John Lloyd Young), Tommy DeVito (Vincent Piazza), Nick Massi (Michael Lomenda) e Bob Gaudio (Erich Bergen) – todos rompendo a barreira entre eles e o público para fazerem os seus comentários. É um truque um pouco mal feito que Clint Eastwood e seus roteiristas — Marshall Brickman e Rick Elice, remanescentes da Broadway — implementam casualmente (Frankie Valli não ganha a sua chance até a cena final). Isso dita o humor do filme, que sai como uma daquelas experiências nostálgicas que você experimenta durante um reencontro familiar longo.

A banda tem uma história cheia de cores que envolve mau gerenciamento de dinheiro, laços com a máfia (Christopher Walken empresta seu ritmo para o chefão da máfia Gyp DeCarlo) e até mesmo o ator Joe Pesci (interpretado por Joseph Russo), que foi fundamental para levar Gaudio à atenção do grupo. Mesmo assim, Clint Eastwood dirige cada cena com uma monotonia que anula quase todo o drama. Até quando os personagens tiram de letra os números musicais ou quando o filme vai e volta no tempo para mostrar as várias perspectivas, as coisas parecem dar sono.

Isso obriga que as performances musicais de hits como 'Sherry', 'Walk Like a Man' e 'Big Girls Don’t Cry' façam todo o trabalho, então foi inteligente manter o vencedor do Tony John Lloyd Young como Valli. Nem a estética decrépita nem as maquiagens que envelhecem e geram risos tiram o carisma e charme dele, que faz as notas viverem apesar de tudo.

Escrito por Keith Uhlich
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus