Time Out São Paulo

Drive

 Um filme noir repaginado e denso

Drive

Estreia 6 Jan 2011

Diretor Nicholas Winding Refn

Elenco Ryan Gosling, Carey Mulligan, Bryan Cranston

É irônico que o film noir tenha surgido em um dos lugares mais ensolarados do mundo, a Califórnia. Mas, enquanto os diretores originais se esforçavam para esconder a luz do sol ao filmar, cineastas do fim dos anos 1960 juntaram os elementos principais do gênero – heróis melancólicos, vilões loucos por armas e mocinhas em apuros – e os trouxeram à luz, tornando o noir mais brilhante, vívido e, paradoxalmente, muito mais frio.

Os melhores filmes do gênero, passados em Los Angeles – À Queima Roupa, Caçada de Morte, Liberdade Condicional, Viver e Morrer em Los Angeles, Fogo Contra Fogo –, compartilham algumas características que vão além dos clichês básicos do gênero. São filmes influenciados pela cidade onde foram feitos – com suas rodovias de seis pistas, enormes parques industriais e intermináveis subúrbios – e onde o crime é sujo e informal, perpetrado por homens solitários, vazios e sem esperanças, que estão à mercê de tiranos endinheirados.

Esse é o mundo onde encontramos o herói esperto e quase silencioso de Drive, interpretado por Ryan Gosling. Um motorista sem nome cuja vida vira de pernas para o ar quando conhece Irene (Carey Mulligan), uma jovem mãe, casada com um homem que acabou de sair da cadeia.

É um filme que se vale de referências familiares em termos de narrativa e estilo: luzes de néon, pneus cantando, o aspecto sombrio de Gosling, os desmaios de Mulligan e um trio de atores espirituosos e extravagantes – Albert Brooks, Ron Perlman e Bryan Cranston –, o que dá ao filme leveza e densidade dramática ao mesmo tempo.

Estreia em 2 de março

Escrito por Tom Huddleston
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus