Time Out São Paulo

Piratas Pirados!

Piratas Pirados!

Diretor Peter Lord

 Depois do longa ligeiramente desapontador Wallace & Gromit, dos ratos da série Por Água Abaixo e do bonitinho, mas fraco Arthur Christmas, alguém poderia dizer que o estúdio Aardman Animations estaria perdendo a mão – aquela faísca de genialidade endoidecida, que fez seus primeiros curtas tão espetaculares. Bem, a tal faísca está de volta e em grande estilo, nesse delicioso e cativante conto em torno de um bando de piratas e seus esforços para se tornarem cientistas reconhecidos internacionalmente.

Leia aqui nossa entrevista com o diretor Peter Lord

Hugh Grant dá voz ao Capitão Pirata, cujas tentativas para se tornar o Pirata do Ano são constantemente infrutíferas porque ele não é muito bom no que faz. Mas quando o naturalista Charles Darwin (caracterizado como um nerd, tímido e desajeitado com mulheres), refém dos piratas, observa que o adorado papagaio do Capitão, Polly, é o último pássaro dodô vivo do mundo, o líder e seu feliz bando vão para Londres para apresentar sua descoberta à Royal Society – fiel ao romance de Gideon Defoe, de 2004, que deu origem ao roteiro, o filme mantém os nomes presentes no livro, como O Pirata com a Gota e O Pirata com um Lenço.

Filmes como Shrek comprometeram, em grande medida, a ideia de filmes voltados tanto para as crianças como para os pais, mas Piratas Pirados! consegue um bom equilíbrio. As crianças ficarão hipnotizadas pela ação e pelas trapalhadas dos piratas. Já os mais velhos vão se divertir com os intrincados detalhes visuais e com a criatividade do filme (não há piadinhas batidas nem clichês) e as tremendas imprecisões históricas – você consegue lembrar de algum outro filme no qual Jane Austen vira uma caneca de cerveja no Homem Elefante?

O resultado é uma brilhante colagem de estilos e gêneros, um filme cheio de ideias inteligentes e conduzido com senso de humor, rebeldia e criatividade de tirar o fôlego, algo que não se via desde o curta The Wrong Trousers.

Estreia em 11 de maio.

Escrito por Tom Huddleston
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus