Time Out São Paulo

10º Festival de Cinema Latino-Americano

Este evento terminou

10º Festival de Cinema Latino-Americano

Data 30 Jul 2015-05 Ago 2015

Horário de abertura Confira os horários e locais das sessões na programação.

Celebrando sua décima edição, o festival reúne uma programação com os destaques da produção mais recente feita na região, incluindo vários títulos inéditos no Brasil e obras exibidas em festivais como os de Cannes, Berlim, Veneza e Sundance. Os homenageados deste ano são os cineastas Hector Babenco e Lírio Ferreira.

No total, são 111 filmes, representando 17 países da América Latina e do Caribe. Na mostra Contemporâneos estão 21 filmes, sendo 13 inéditos no Brasil (cinco são produções brasileiras em première mundial). As demais seções são Doc Musicais América Latina, Mostra de Escolas Ciba-Cilect e DocTV Latinoamérica. Entre as atividades paralelas destaca-se o Seminário Internacional 'Caminhos do Audiovisual Latino-Americano no Século 21'.

A programação acontece no Memorial da América Latina (Tenda Petrobras para o Cinema Latino-Americano, Biblioteca Latino-Americana e Galeria Marta Traba), Cinesesc, Cine Olido, Centro Cultural São Paulo (Sala Lima Barreto e Sala Paulo Emílio), Cinusp Maria Antonia, Cinusp Paulo Emílio, Reserva Cultural e Espaço Itaú de Cinema – Frei Caneca, Cinemateca Brasileira e Centro de Pesquisa e Formação - Sesc.

Entre os títulos recentes estão cinco premières mundiais de longas-metragens brasileiros; Trago Comigo, de Tata Amaral; Sermão dos Peixes, de Cristiano Burlan; Através, de André Michiles, Fábio Bardella e Diogo Martins; Não Estávamos Ali para Fazer Amigos, de Miguel de Almeida e Luiz R Cabral; e Trago Seu Amor, de Dellani Lima.

Produções argentinas dominam a seleção internacional, com destaque para As Insoladas, novo filme de Gustavo Taretto (de Medianeras, Buenos Aires na Era do Amor Virtual); Morte em Buenos Aires, Natalia Meta, que tem no elenco Demian Bichir (indicado ao Oscar por Uma Vida Melhor, de Chris Weitz) e Chino Darín (filho do Ricardo Darín); Natureza Morta, de Gabriel Grieco, anunciado como o primeiro filme “terror vegano” do mundo; O Ardor , de Pablo Féndrik, protagonizado por Gael García Bernal e Alice Braga; e Ragazzi, do diretor cult Raúl Perrone, que tem mais 30 de títulos no currículo e é desconhecido no Brasil.

Outras obras presentes e inéditas no Brasil são Mar, coprodução Chile/Argentina selecionada para o Festival de Berlim e dirigida por Dominga Sotomayor; Sozinhos, da peruana Joanna Lombardi (de Casadentro); Viva a Música, do colombiano Carlos Moreno, exibido no Festival de Sundance; e Videofilia (e Outras Síndromes Virais), a primeira produção peruana a vencer o Festival de Roterdã.

Homenagens
A homenagem a Hector Babenco traz alguns de seus grandes sucessos, Lúcio Flávio, o Passageiro da Agonia, que alcançou 5,4 milhões de espectadores, Pixote, a Lei do Mais Fraco (1980), O Beijo da Mulher-Aranha, pelo qual William Hurt foi premiado com o Oscar de melhor ator, Coração Iluminado, Carandiru e O Passado.
Já Lírio Ferreira tem exibidos seus cinco longas-metragens (Baile Perfumado, Árido Movie, Cartola - Música para os Olhos, O Homem que Engarrafava Nuvens e Sangue Azul) e uma seleção de oito curtas, entre eles raridades de início de carreira e obras feitas para TV e museus. Uma mesa reúne, em 30/07, o cineasta pernambucano ao lado dos diretores Paulo Caldas, Kiko Goifman e Hilton Lacerda.
Confira a programação completa no site festlatinosp.com.br.

Escrito por Time Out São Paulo editors
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus