Time Out São Paulo

O Cinema de John Akomfrah – Espectros da Diáspora

Este evento terminou

O Cinema de John Akomfrah – Espectros da Diáspora

Preço de R$ 5 até R$ 10

Data 15 Nov 2017-04 Dez 2017

Horário de abertura Confira os horários das sessões na programação.

Rua Álvares Penteado, 112, Centro

Telefone (11) 3113 3651

Estações próximas
1, Sé

A mostra é uma retrospectiva inédita com os filmes de John Akomfrah, cineasta pioneiro na abordagem de vanguarda sobre a diáspora africana. A obra de Akomfrah é reconhecida por atentar à luta contra a opressão racial e denunciar as ramificações contemporâneas do colonialismo. O festival incentiva o debate durante o mês da Consciência Negra e traz ao país, pela primeira vez, o renomado historiador da arte Kobena Mercer (Universidade de Yale).

São 16 filme do cineasta, a maioria inédita no Brasil, entre filmes de ficção, documentários e videoinstalações. Partindo da cinematografia do realizador ganês-britânico, a mostra apresenta um amplo painel sobre a dispersão das culturas de matriz africana no ocidente, traçando um percurso que cobre desde as raízes da escravidão, em trabalhos como Tropykos (2015), a obras de ficção científica de inspiração afro-futurista, como O Último Anjo da História (1995).

Nascido em Gana em 1957, Akomfrah emigrou para a Inglaterra ainda na infância. “As agruras comuns à experiência migratória, tais como a nostalgia da terra natal e as tensões inerentes à condição de ser negro na Grã-Bretanha do pós-guerra, fortemente marcada pelo racismo, teriam impacto profundo na vida e na produção de Akomfrah”, detalha Rodrigo Sombra, que assina a curadoria da mostra em parceria com Lucas Murari.

Durante a década de 1980, Akomfrah participou intensamente do movimento de cineclubes e oficinas de cinema que emergia nos bairros de imigrantes da Inglaterra. Neste período, fundou o Black Audio Film Collective, coletivo de artistas cuja atuação seria decisiva para dar visibilidade à questão diaspórica no interior da cultura inglesa.

A questão da diáspora africana na obra de Akomfrah ganha ressonância ainda nos diálogos imaginários mobilizados por ele com figuras seminais da cultura negra. O artista dedicou filmes a personagens históricos na luta política antirracista, como MalcolmX, Martin Luther King e Stuart Hall. Longe de serem documentários convencionais, cada um desses filmes – todos eles incluídos na retrospectiva – tomam o relato biográfico como premissa para um salto na experimentaçãoçãca, do lugar do imigrante em nosso tempo. 

Além dos filmes de Akomfrah, são exibidos ainda dois filmes de Reece Auguiste, um dos mais proeminentes artistas do Black AudioFilmCollective. A retrospectiva inclui também uma sessão especial do filme Borderline (1930), de Kenneth Macpherson. Clássico do cinema silencioso de vanguarda do Reino Unido, o filme parte de um triângulo amoroso interracial para fazer considerações sobre relações interraciais, preconceito, tratamento de classe, questões de gênero e sexualidade.

Debate
Em 23 de novembro, o CCBB promove também um debate sobre a mostra, aberta ao público, com mediação de Rodrigo Sombra e participações de Luiz Carlos dos Santos (jornalista e sociólogo) e Heitor Augusto (crítico de cinema). O debate ocorre às 19h, no CCBB, e será acompanhada por tradução em LIBRAS. Também será promovida aula magna com o professor Kobena Mercer (Yale University), no dia 27/11, às 19h. Pupilo de Stuart Hall, de quem editou a mais recente coleção publicada nos EUA, Kobena Mercer é um dos mais renomados historiadores da arte dedicados às práticas artísticas da diáspora africana nos EUA e no Reino Unido. Ele vem ao Brasil pela primeira vez para uma aula magna sobre o legado de John Akomfrah.

Confira a programação completa da mostra no site culturabancodobrasil.com.br.

Escrito por Time Out São Paulo editors
Compartilhe

Mapa


     Se o mapa ou detalhes deste estabelecimento estão incorretos, entre em contato

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus