Time Out São Paulo

Homem-Aranha: De Volta ao Lar - crítica do filme

Filme é como um adolescente que ainda não provou todo seu potencial.

Um dos personagens mais queridos dos quadrinhos finalmente entra de vez no universo cinematográfico da Marvel. Após uma trilogia e meia, o cabeça de teia estreia sua aventura solo em um mundo em que os Vingadores existem, inserindo o personagem – e seu antagonista da vez, o Abutre – de forma fluída no que aconteceu entre The Avengers: Os Vingadores (2012) e Capitão América: Guerra Civil (2016).

O clima é de volta às origens. Em Homem-Aranha: De Volta ao Lar, o jovem Peter Parker (Tom Holland) é realmente jovem e retorna à tradicional alcunha do “amigão da vizinhança”. Saem os arranha-céus imponentes de Manhattan e entra a paisagem suburbana do Queens, o distrito menos glamoroso de Nova York.

No entanto, a história com um ar mais teen – embalada por hits da banda mais famosa da área, os Ramones – traz vantagens e desvantagens. É legal ver Peter Parker ainda na escola, com todas as dúvidas e desejos em ebulição que massacram a alma de um adolescente. Porém, o clima Malhação pode cansar um pouco plateias um tiquinho mais maduras. Além disso, criar um parceiro como um simples alívio cômico é uma fórmula que já deu o que tinha de dar faz tempo.

Mas a maior bola fora da trama é o vilão. Não porque ele tem pouco a acrescentar, na verdade, o problema é o contrário. Adrian Toomes (Michael Keaton), o Abutre, é mal utilizado. Ele é um personagem bem interessante. Ao ponto de ser até simpático ao público.

Legítimo representante da classe trabalhadora, Toomes vê uma ótima oportunidade em ganhar dinheiro com os destroços da batalha dos Vingadores em Manhattan, mas seu sonho vai por água abaixo quando os poderosos se metem. No caso, o playboyzinho babaca – porém charmoso e carismático – Tony Stark (Robert Downey Jr). Uma análise mais profunda das razões por trás dele ter optado pelo crime e a dicotomia entre o vilão que nos representa e um herói de uma classe econômica que não nos leva em conta, seria muito bem-vinda.

Tudo bem que Homem-Aranha: De Volta ao Lar é apenas um filme de super-herói, e que cumpre seu papel de entreter com muita competência, mas poderia dar um passinho a frente e ser bem mais do que isso. Ele diverte com boas sacadas (como a homenagem a Curtindo a Vida Adoidado, por exemplo), cenas de ação ok e um roteiro enxuto, mas, assim como um adolescente, ainda não provou todo o seu potencial.

Escrito por Rafael Argemon
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus

Outras notícias recomendadas

Os filmes da semana – 16/11/2017

11 anos do JazzNosFundos

Os filmes da semana – 26/10/2017