Cineminha hoje?

As sete estreias da semana, por André de Leones

Imagem Filmes/Divulgação
Cena de 'A Toda Prova', de Steven Soderbegh
Cena de 'A Toda Prova', de Steven Soderbegh

Rever Jack e Rose a bordo do malfadado Titanic é o que James Cameron vem nos oferecer, agora em 3D. O que nos consola é pensar que Avatar já foi originalmente lançado em 3D. Assim, não teremos de lidar com um relançamento desse filme em anos vindouros. Por outro lado, se cochilarmos na hora e meia inicial de Titanic e taparmos os ouvidos para a horrenda trilha-sonora, talvez seja divertido conferir o naufrágio em gloriosas três dimensões.

As demais estreias da semana incluem um documentário brasileiro sobre empreendedores sociais ao redor do mundo (Quem se Importa), uma coprodução Brasil/EUA com ETs no interior do Ceará (Área Q) e, bem, o que mais poderíamos citar depois de “ETs no interior do Ceará”? Melhor passarmos direto às sinopses.

Titanic | Área Q |12 Horas| Como Agarrar meu Ex-Namorado
Quem se Importa | O Príncipe do Deserto | A Toda Prova
  


Titanic 3D 

Na noite de 14 de abril de 1912, o transatlântico RMS Titanic chocou-se com um iceberg e afundou no Oceano Atlântico, matando mais de 1.500 pessoas. Um século depois, o relançamento em 3D do filme de James Cameron que, há quinze anos, causou uma histeria generalizada, faturou quase dois bilhões de dólares nos cinemas e onze Oscar da Academia, além de catapultar a carreira de Leonardo DiCaprio é a maneira previsível encontrada pelos banqueiros hollywoodianos de, digamos, relembrar a data. Razões para rever o filme? Não conseguimos pensar em nenhuma outra além da citada no texto de abertura, a não ser que o leitor aí seja um fã aguerrido de Celine Dion. 

Dir. James Cameron, EUA, 1997. Leonardo DiCaprio, Kate Winslet, Billy Zane, Kathy Bates, Frances Fisher, Gloria Stuart, Bill Paxton. 194 min. 


Área Q 

Um jornalista norte-americano cujo filho desapareceu é enviado à região de Quixadá e Quixeramobim, no Ceará, lugar conhecido como Área Q, para investigar fenômenos que podem estar ligados ao aparecimento de seres alienígenas. Se o diretor fosse Ed Wood, talvez déssemos algum crédito. E, levando-se em conta o atual descompasso entre as políticas brasileiras e norte-americanas, certamente não será essa coprodução que vai ajudar a consertar a situação. 

Dir. Gerson Sanginitto, EUA, Brasil, 2011. Isaiah Washington, Murilo Rosa, Tânia Khalil, Ricardo Conti. 107 min. 


12 Horas (Gone) 

Este é o primeiro filme dirigido pelo pernambucano Heitor Dhalia (de O Cheiro do Ralo) nos EUA. 12 Horas é um thriller de orçamento modesto (10 milhões de dólares) e faturamento idem por lá (11 milhões e meio até 25 de março, segundo dados do Internet Movie Database). O enredo gira em torno de uma garota convencida de que o serial killer que a sequestrou dois anos antes está por trás do desaparecimento de sua irmã. Desacreditada pela polícia, terá de cuidar do caso sozinha. A conferir se Dhalia consegue driblar a premissa batida e oferecer entretenimento digno. Exigir mais do que isso nos parece loucura. 

Dir. Heitor Dhalia, EUA, 2012. Amanda Seyfried, Daniel Sunjata, Jennifer Carpenter, Wes Bentley, Sebastian Stan. 94 min. 


Como Agarrar meu Ex-Namorado (One for the Money) 

Katherine Heigl, celebrizada como Izzie Stevens de Grey’s Anatomy, é aqui uma desempregada que aceita um trabalho como caçadora de recompensas. O que ela tem de fazer é recapturar criminosos fugitivos, e um deles calha de ser uma paixão dos tempos de colégio. O filme, então, investe numa levada típica das screwball comedies do passado: um casal improvável, que a princípio parece se odiar, vivendo uma situação absurda, mas cujo final feliz parece ser apenas uma questão de tempo.

Dir. Julie Anne Robinson, EUA, 2012. Katherine Heigl, Jason O’Mara, John Leguizamo, Debbie Reynolds. 91 min. 


Quem se Importa 

Empreendedorismo social é o tema deste documentário dirigido por Mara Mourão e narrado por Rodrigo Santoro. Enfocando pessoas como Bill Drayton, fundador da Ashoka, o economista e banqueiro bengali Muhammad Yunus, vencedor do Prêmio Nobel da Paz em 2006, e a educadora canadense Mary Gordon, criadora de programas que buscam incrementar a empatia e diminuir as agressões entre as crianças nas escolas, o filme explora a ideia de que, muitas vezes, soluções simples podem ajudar a resolver problemas sérios, a princípio localmente e, depois, quem sabe, globalmente. 

Dir. Mara Mourão, Brasil, 2010. Muhammad Yunus, Bill Drayton, Al Etmanski, Bart Weetjens, Dener Giovanini, Mary Gordon, Oscar Rivas. Duração não informada. 


O Príncipe do Deserto (Black Gold) 

Jean-Jacques Annaud dirigiu sucessos como O Nome da Rosa, Sete Anos no Tibet e Círculo de Fogo. Para ficar apenas nos citados, ele perambulou pela Europa medieval, pelo Tibet e pela Rússia sob ataque nazista. Agora, ele se volta para os Emirados Árabes da década de 1930, quando o ‘ouro negro’ do título original é descoberto por ali. O problema é que o petróleo está sob uma faixa de terra disputada por dois clãs rivais, chefiados por Antonio Banderas e Mark Strong.

Dir. Jean-Jacques Annaud, França, Itália, Katar, Tunísia, 2011. Antonio Banderas, Mark Strong, Tahar Raim, Freida Pinto. 130 min.


A Toda Prova (Haywire) 

 

Logo com seu primeiro longa-metragem, Sexo, Mentiras e Videotape, Steven Soderbergh ganhou a Palma de Ouro em Cannes. Desde então, contrariando um início de carreira que parecia auspicioso, tornou-se uma espécie de diretor sem estilo, exercitando o que muita gente por aí confunde com versatilidade. Cineastas versáteis são aqueles capazes de imprimir uma marca ou estilo em gêneros distintos, como faziam Stanley Kubrick, Howard Hawks e Billy Wilder. Soderbergh, de fato, trafega por vários tipos de filmes (Traffic, Erin Brockovich, Onze Homens e um Segredo, Solaris, Che), mas o problema é que, não importa o material que aborde, o resultado é sempre insosso. 

A impressão que temos é de que o sujeito dirige seus filmes do sofá de casa, via Skype. A bola da vez é um thriller de espionagem estrelado pela lutadora de MMA Gina Carano. Ela interpreta uma agente treinada pela CIA obrigada a correr contra o relógio para salvar a pele do pai e desbaratar uma conspiração internacional. Já vimos esse mesmíssimo filme diversas vezes, mas com uma vantagem: ele não era dirigido por Soderbergh.

Dir. Steven Soderbergh, EUA, 2011. Gina Carano, Channing Tatum, Ewan McGregor, Antonio Banderas, Michael Douglas, Michael Fassbender. 93 min.

Escrito por André de Leones
 

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus
 

© 2011 - 2016 Time Out Group Ltd. All rights reserved. All material on this site is © Time Out.