Time Out São Paulo

Que tal um bom cinema?

André de Leones comenta as estreias da semana


O destaque entre as estreias desta semana é Deus da Carnificina, novo filme de Roman Polanski. A rigor, não é bem um filme, mas um exemplar desse bicho híbrido conhecido como 'teatro filmado'. Mas, claro, teatro filmado ainda é cinema, e quem gosta de um bom filme, bem escrito, com interpretações de alto nível e seres humanos expostos em toda a sua patetice, eis aí uma ótima opção.

Temos, ainda, Madagascar 3 - Os Procurados. A exemplo dos anteriores, explora a simples ideia de que a viagem em si é bem mais importante do que chegar onde quer que seja.

Deus da Carnificina | Madagascar 3 - Os Procurados | Para Sempre
Kaboom | Violeta Foi para o Céu | Weekend 


Deus da Carnificina (Carnage)
 

Roman Polanski sempre se deu muito bem em espaços fechados. Desde Repulsa ao Sexo até este Deus da Carnificina, passando por O Bebê de Rosemary (em que o edifício Dakota, em Nova York, é quase um personagem da história) e A Morte e a Donzela, ele sempre soube emparedar seres humanos. E, todos sabemos (ou devíamos saber), se existem animais sobre a face da Terra que mereçam ser enjaulados, somos nós.

Deus da Carnificina é uma adaptação da peça homônima de Yasmina Reza. Dois casais aparentemente tranquilos e bacanas se reúnem para lidar com um problema em comum: o filho de um deles arrancou dois dentes do filho do outro com uma paulada. A ideia é conversar a respeito e encontrar a melhor forma de resolver o assunto. Mas, à medida que o papo evolui, a coisa degenera em um crescendo de acusações, ofensas, vômitos literais e figurados, desprezo e auto-desprezo.

Como dissemos lá em cima, é teatro filmado. Exceto pelo prólogo e pelo epílogo, tudo se passa no apartamento de um dos casais. Texto e atores, sim, mas o texto é dos melhores e o elenco, maiúsculo. Tudo isso, além da curta duração, incrementam o soco que vai se formando diante dos olhos do espectador.

Dir. Roman Polanski, França, Espanha, Polônia, Alemanha, 2011. Jodie Foster, Kate Winslet, Christoph Waltz, John C. Reilly. 80 min.


Madagascar 3 - Os Procurados (Madagascar 3: Europe's Most Wanted)
 

A certa altura de Madagascar 3, assistimos ao desenrolar de uma relação afetiva exemplarmente heterodoxa, entre um lêmure e um urso fêmea. É bem esse tipo de descompromisso para com a 'normalidade' que animações espertas como esta vêm ajudando a fomentar. Nada mais saudável. Em um cenário cada vez mais dominado por filmes padronizados, insossos e estúpidos (eis aí Os Vingadores que não me deixa mentir), o ar puro ou menos viciado de Madagascar é um tremendo alívio.

Depois da aventura africana vista no segundo, o leão Alex, a girafa Melman, a zebra Marty e a hipopótamo Gloria seguem tentando voltar para casa, isto é, o Zoológico de Nova York. Unir-se a um circo decadente parece ser o melhor atalho. O que eles não tardam a descobrir, contudo, é que o verdadeiro lar pelo qual tanto ansiaram talvez não seja aquele. E, pensando bem, não é esse o tipo de coisa que todos descobrimos - ou deveríamos descobrir - mais cedo ou mais tarde?

Dir. Eric Darnell, Tom McGrath, Conrad Vernon, EUA, 2012. Vozes de Ben Stiller, Chris Rock, David Schwimmer, Jada Pinkett Smith, Sacha Baron Cohen, Frances McDormand, Cedric the Entertainer, Bryan Cranston. Duração não informada.


Para Sempre (The Vow)
 

Paige (Rachel McAdams) sobrevive a um acidente de carro, mas, ao acordar no hospital, está com amnésia. O marido dela, Leo (Channing Tatum), terá, então, de reconquistá-la. O filme é baseado em fatos reais. Deve ser lindo, certo? Errado.

Dir. Michael Sucsy, EUA, 2012. Channing Tatum, Rachel McAdams, Jessica Lange, Sam Neill, Jessica McNamee. 104 min.


Kaboom
 

A sinopse de Kaboom o descreve como "uma história de ficção-científica centrada no despertar sexual de um grupo de universitários". O que seria, então? Algo como "Donnie Darko está transando"? Uma versão cheia de hormônios de Melancolia? Várias perguntas e nenhuma vontade de respondê-las.

Dir. Gregg Araki, EUA, França, 2010. Thomas Dekker, Haley Bennett, Chris Zylka, Roxane Mesquida. 86 min.


Violeta Foi para o Céu (Violeta se Fue a los Cielos)
 

Cinebiografia da compositora, intérprete e folclorista chilena Violeta Parra (1917-1967). Andrés Wood, diretor de Machuca, acompanha os passos dela desde a infância humilde até o reconhecimento internacional que obteve.

Dir. Andrés Wood, Chile, Argentina, Brasil, 2011. Francisca Gavilán, Thomas Durand, Christian Quevedo, Gabriela Aguilera. 110 min.


Weekend
 

Depois de se embebedar em uma festa, em companhia de alguns amigos heterossexuais, Russell vai a uma boate gay. Ali, pouco antes de o local fechar, fica com Glen. O que seria apenas um caso furtivo, que durasse apenas aquela noite, acaba evoluindo para algo mais.

Dir. Andrew Haigh, Reino Unido, 2011. Tom Cullen, Chris New, Jonathan Race, Laura Freeman. 97 min.

Escrito por Time Out São Paulo editors
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus

Outras notícias recomendadas

Os filmes da semana – 01/12/2016

Ceia de Natal da Casa Santa Luzia

Rodízio de brigadeiro