Time Out São Paulo

Cinema com amor - 29 de julho

 André de Leones comenta as estreias da semana

Impossível reclamar de uma semana que nos traz o Woody Allen safra 2012. Dando continuidade ao périplo europeu iniciado em Londres com o irretocável Match Point (2003) e só interrompido brevemente com Tudo Pode Dar Certo (2009), Allen desembarca na capital italiana e nos oferece Para Roma, com Amor, uma comédia rasgada que lembra seus primeiros filmes.

A animação A Era do Gelo 4 também nos cerca à entrada dos cinemas, e quase temos a impressão de que o chão sob os nossos pés está rachando: marketing em torno do filme é, como sempre, opressivo. Rota de fuga possível é Fausto, novo e premiado trabalho do mestre russo Aleksandr Sokurov.

Para Roma, com Amor | Fausto | A Era do Gelo 4  
 


Para Roma, Com Amor (To Rome With Love)
 

A fase caixeiro-viajante de Woody Allen segue rendendo filhotes dos mais interessantes. Depois de quatro filmes em Londres, uma comédia deliciosa em Barcelona e outra em Paris, ele volta aos ares do início de carreira e comete uma selvageria cômica das mais satisfatórias.

Para Roma, com Amor, a exemplo de Um Assaltante Bem Trapalhão ou Bananas, é uma comédia fragmentada e, por isso mesmo, das mais livres. Diversas histórias correm soltas pela capital italiana, com tempos – uma delas se passa no decorrer de um mesmo dia, por exemplo, e outras se prolongam por semanas – e estilos distintos.

A sucessão desenfreada de piadas chega ao ápice na crítica sobre a indústria das celebridades, quando um romano comum interpretado por Roberto Benigni torna-se famoso por nada. Sua passagem por um telejornal, onde perguntam com vivo interesse sobre o que ele come no desjejum, como faz a barba etc., não me parece muito diferente dos talk shows que grassam por aí.

Ou seja, com seu cinema para muitos antiquado (hoje em dia, qualquer cinema ancorado na palavra é antiquado), Allen continua ligadíssimo no que rola em nossa sociedade em estado terminal.

Dir. Woody Allen, EUA, Itália, Espanha, 2012. Jesse Eisenberg, Penélope Cruz, Alec Baldwin, Ellen Page, Woody Allen, Judy Davis, Roberto Benigni, Alessandro Tiberi, Alessandra Mastronardi. 102 min.


Fausto (Faust)
 

Aleksandr Sokurov é o mestre russo em atividade, isto é, o único capaz de ombrear com gente do calibre de Andrei Tarkovski, Sergei Paradjanov e Elem Klimov. Mas, convenhamos, depois de alguns trabalhos insatisfatórios (Taurus, O Sol, Pai e Filho), ele estava nos devendo um bom filme há tempos. Encontrou-o nesta adaptação do poema homônimo de Goethe – por sua vez inspirado numa lenda alemã – sobre um sujeito que, em troca de conhecimento, faz um pacto com o Diabo. Sokurov, sempre afeito a uma boa (ou má) dispersão, parece funcionar melhor quando tem diante de si algo que precisa resolver narrativamente. Fausto ganhou o Leão de Ouro em Veneza, ano passado.

Dir. Aleksandr Sokurov, Rússia, 2011. Johannes Zeiler, Anton Adasinsky, Isolda Dychauk, George Friedrich, Hanna Schygulla. 140 min.


A Era do Gelo 4 (Ice Age 4: Continental Drift)
 

Se pensarmos numa hierarquia qualitativa dos estúdios de animação, a verdade é que a Fox ocuparia um terceiro lugar, atrás da imbatível Pixar e da Dreamworks. O fato de revisitar uma franquia de sucesso em vez de experimentar algo novo dá bem a medida de como as coisas funcionam por lá. Tanto ela quanto a Dreamworks estão bem distantes da excelência e do arrojo criativos da companhia desenvolvida por Steve Jobs e hoje controlada pela Disney. Em todo caso, A Era do Gelo 4 é um produto decente onde, em meio a mudanças cataclísmicas, Manny, Diego e Sid tentam voltar para casa (seja lá onde ela estiver agora).

Dir. Steve Martino, Mike Thurmeier, EUA, 2012. Vozes: Ray Romano, Queen Latifah, Denis Leary, John Leguizamo. 94 min.

Escrito por Time Out São Paulo editors
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus

Outras notícias recomendadas

Os filmes da semana – 01/12/2016

Ceia de Natal da Casa Santa Luzia

Rodízio de brigadeiro