Time Out São Paulo

Os filmes da semana - 22/2/2013

Programe-se com nossas sinopses das principais estreias 


A cerimônia de entrega do Oscar se aproxima e o público sofre com as 'sobras' dos indicados. O filme da vez é Indomável Sonhadora, que só não consegue ser pior do que o insuportável Os Miseráveis porque, presumo, é o longa de estreia de seu diretor.

Logo, é preferível abrigar-se sob o bom cinema de Ken Loach no filme A Parte dos Anjos. Ou mandar tudo às favas e encarar John McClane no quinto filme da série Duro de Matar. Em relação a este último, ao menos, já sabemos o que esperar.

Indomável Sonhadora | A Parte dos Anjos | Duro de Matar: Um Bom Dia Para Morrer | O Dobro ou Nada | Segredos da Tribo | Cirque Du Soleil – Outros Mundos | O Reino Gelado | Amorosa Soledad
 

Indomável Sonhadora (Beasts of the Southern Wild)


Talvez o Oscar seja mais conhecido por suas injustiças do que por qualquer outra coisa. O fato de que cineastas como Alfred Hitchcock e Stanley Kubrick nunca ganharam o prêmio de Melhor Direção só reitera essa miopia de que parecem sofrer os acadêmicos.

O injustiçado do ano é Paul Thomas Anderson e sua estranhíssima obra-prima O Mestre. É inconcebível que ele não tenha sido indicado e um filme anódino como Indomável Sonhadora, sim.

É sobre uma menina de seis anos que vive com o pai num vilarejo às margens de um rio. Ele descobre estar muito doente, mas resolve não procurar ajuda médica, dedicando seus dias a ensinar a filha a sobreviver em sua ausência.

Uma premissa dessas já traz todos os bons sentimentos que o público em geral aprecia ao adentrar uma sala de cinema. É aquilo que poderiam resumir assim: “Emociona e faz pensar”. Só não sabemos em quê.

Dir. Benh Zeitlin, EUA, 2012. Quvenzhané Wallis, Dwight Henry, Lowell Landes, Levy Easterly. 93 min.

A Parte dos Anjos (The Angel’s Share)




Robbie vive em um subúrbio de Glasgow. Está prestes a se tornar pai, mas é perseguido por seu passado como delinquente. Prestando serviços comunitários, conhece outros jovens problemáticos, incluindo um conhecedor de whisky. Ao descobrir um talento real como degustador, Robbie bola um plano que pode render a ele, e aos amigos, um recomeço. O premiado diretor Ken Loach é um mestre na construção de dramas proletários, por assim dizer. Quando não se ocupa de excelentes dramas históricos como Ventos da Liberdade (Palma de Ouro em Cannes) ou filmes políticos como Rota Irlandesa, ele consegue enfocar as classes menos favorecidas sem incorrer em sociologismos, chamando a atenção do espectador para os dramas comuns de pessoas ordinárias (vide Uma Canção para Carla, Pão e Rosas, À Procura de Eric). O resultado é, como sempre, muito acima da média.

Dir. Ken Loach, Reino Unido, França, Bélgica, Itália, 2012. Paul Brannigan, John Henshaw, Gary Maitland, Jasmin Riggins, William Huane, Roger Allam, Siobhan Reilly. 101 min.

Duro de Matar: Um Bom Dia Para Morrer (A Good Day to Die Hard)




Há alguns anos, quando o quarto filme da série Duro de Matar foi lançado, alguém resumiu tudo à perfeição: o primeiro filme fora realizado por homens; o quarto, por moleques. E agora os moleques voltaram para um quinto round. Não se trata de uma mera frase de efeito, é claro. O filme original, dirigido por John McTiernan, era sobre um sujeito de carne-e-osso atirado numa situação absurda, da qual se safava passando por grandes sofrimentos. Este novo filme e o anterior, por sua vez, relegam o policial John McClane (Bruce Willis, claro) ao lixão dos heróis de ação vulgares, quase indestrutíveis. Aqui, ele viaja à Rússia para ajudar o filho a evitar uma guerra nuclear. Por não agregá-lo, então, ao universo Marvel? McClane seria uma boa aquisição para Os Vingadores.

Dir. John Moore, 2013. Bruce Willis, Jai Courtney, Sebastian Koch, Mary Elizabeth Winstead, Yuliya Snigir. 97 min.

O Dobro ou Nada (Lay the Favorite)

 


Stephen Frears, de Minha Adorável Lavanderia e Ligações Perigosas, dirige esta comédia sobre uma garçonete que se envolve com um bando de trambiqueiros a fim de fraudar apostas esportivas em Las Vegas. Ainda que esteja bem longe da excelência de Os Imorais, talvez seu melhor filme, Frears ainda tem o que dizer.

Dir. Stephen Frears, EUA, 2012. Rebecca Hall, Bruce Willis, Catherine Zeta-Jones, Vince Vaughn, Joshua Jackson. 94 min.

Segredos da Tribo

 

Dirigido por José Padilha (responsável pelos dois Tropa de Elite), este documentário trata dos estudos antropológicos realizados com os índios Yanomani desde os anos 1960, quando se estabeleceram os primeiros pontos permanentes de contato com as tribos do baixo Orinoco, na Amazônia venezuelana. O filme foi exibido no Festival de Sundance em 2010.

Dir. José Padilha, 2010. 110 min.

Cirque Du Soleil – Outros Mundos (Cirque du Soleil – Worlds Away)


Uma jovem se encanta com um trapezista. No entanto, quando adentram o mundo do Cirque du Soleil, eles têm de passar por vários lugares antes de, finalmente, conseguirem se encontrar.

Dir. Andrew Adamson, EUA, 2012. Erica Linz, Igor Zaripov, Lutz Halbhubner, John Clarke, Dallas Barnett. 91 min.

O Reino Gelado (Snezhnaya Koroleva) 




Eis uma rara oportunidade para conferir uma animação russa. A Rainha da Neve cobre o planeta com gelo e ordena a destruição de todas as artes. No entanto, a jovem Gerda e seus amigos farão de tudo para voltar a aquecer os corações das pessoas. 

Dir. Maksim Sveshnikov, Vlad Barbe, Rússia, 2012. Duração não informada.

Amorosa Soledad 




Soledad é abandonada pelo namorado e decide que ficará sozinha pelos próximos dois anos. Quer evitar outro naufrágio amoroso não se envolvendo com ninguém, mas as coisas não sairão conforme o planejado.

Dir. Martín Carranza, Victoria Galardi, Argentina, 2008. Inés Efron, Nicolas Pauls, Fabián Vena, Ricardo Darín. 82 min.

Escrito por André de Leones
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus

Outras notícias recomendadas

Os filmes da semana – 01/12/2016

Ceia de Natal da Casa Santa Luzia

Rodízio de brigadeiro