Time Out São Paulo

Os filmes da semana - 24/5/2013

Aproveite as estreias de cinema da semana com as nossas sinopses comentadas


Espremidas entre a Virada Cultural e o feridão da semana seguinte, as estreias desta sexta são variadas. Os destaques são para o bem e para o mal. Para o bem, há o novo filme dirigido e protagonizado por Robert Redford, Sem Proteção, e o denso drama turco Era Uma Vez na Anatólia, premiado no Festival de Cannes há dois anos; para o mal, os estrondos de Velozes e Furiosos 6.
 

Sem Proteção (The Company You Keep)

 

Robert Redford tem uma carreira como diretor que oscila entre filmes de sucesso como o vencedor do Oscar Gente como a Gente e Nada é Para Sempre e produtos mal sucedidos como Lendas da Vida e Leões e Cordeiros. Recentemente, com o drama histórico Conspiração Americana e este Sem Proteção, parece interessado em devassar alguns aspectos um tanto obscuros da história americana, recente ou não.

Aqui, ele remete à explosiva década de 1960, em que um dentre vários grupos de ativistas pegou em armas e lutou contra o establishment. Passadas quatro décadas, uma dessas militantes (que vivia foragida) é presa pelo FBI e um outro, interpretado pelo próprio Redford, corre o risco de ser desmascarado por um repórter.

Dir. Robert Redford, EUA, 2012. Robert Redford, Shia LaBeouf, Julie Christie, Susan Sarandon, Nick Nolte, Chris Cooper, Terrence Howard, Stanley Tucci. 121 min.

Era Uma Vez na Anatólia (Bir zamanlar Anadolu’da)

 

O turco Nuri Bilge Ceylan atingiu renome internacional com o premiado 3 Macacos. Seu estilo árido talvez afaste espectadores mais afeitos ao cinemão de entretenimento. Quanto aos demais, uma vez diante de Era Uma Vez na Anatólia, não terão do que reclamar. Trata-se de uma longa e tenebrosa jornada noite adentro, na qual um homem, acusado de assassinato e afirmando que estava alcoolizado no momento do crime, guia um grupo formado por policiais, advogados e um médico legista procura por um cadáver nas estepes da Anatólia. Os acontecimentos só serão esclarecidos bem mais tarde, quando a esposa do morto vai reconhecer o corpo.

Dir. Nuri Bilge Ceylan, Turquia, Bósnia e Herzegovina, 2011. Muhammet Uzuner, Yilmaz Erdogan, Firat Taniz, Ercan Kesal. 150 min.

Velozes e Furiosos 6 (Fast & Furious 6) 




Em se tratando de um produto tão mal ajambrado (ainda mais em um gênero que exige, sim, uma destreza técnica no mínimo invulgar), é de se admirar que a audiência responda tão bem à franquia Velozes e Furiosos. Noutras palavras, esses filmes sequer conseguem se sustentar como entretenimento digno, bem produzido ou mesmo passável. São um emaranhado de ruídos e imagens, e só. O enredo? Quem se importa?

Dir. Justin Lin, EUA, 2013. Vin Diesel, Paul Walker, Jason Statham, Dwayne Johnson, Jordana Brewster, Michelle Rodriguez. 130 min.

Walachai




Em alemão castiço, o termo Walachai pode ser traduzido como 'lugar distante, perdido no tempo'. Este documentário explora povoados localizados no sul do Brasil e cujos habitantes, descendentes de imigrantes alemães, mantêm-se à margem do mundo hiperconectado em que vivemos e se comunicam em um dialeto transmitido geração após geração.

Dir. Rejane Zilles, Brasil, 2009. 83 min.

Artigas - La Redota (La Redota - Una Historia de Artigas)




O uruguaio Cesar Charlone é mais conhecido como o diretor de fotografia de filmes comoCidade de Deus e Ensaio sobre a Cegueira. Neste seu segundo longa-metragem como diretor (o primeiro é O Banheiro do Papa), passado em fins do século XIX, enfoca o pintor Juan Manuel Blanes, a quem encomendam um quadro do herói nacional uruguaio José Artigas (1764-1850). O filme se desenrola numa via de mão dupla, entre as vidas de Blanes e do próprio Artigas.

Dir. César Charlone, Uruguai, Espanha, 2011. Yamandú Cruz, Jorge Esmoris, Franklin Rodríguez, Gualberto Sosa. 118 min.

Bonitinha, Mas Ordinária




Adaptação infeliz (mais uma) da peça de Nelson Rodrigues sobre um pobre diabo dividido entre se casar por dinheiro, com a filha do chefe, ou continuar pobre, mas com o suposto amor de sua vida. Moacyr Góes é também o responsável, dentre outras coisas, pelo horrendo Dom, que massacrou Dom Casmurro, de Machado de Assis. Abordar com tamanha incompetência obras de Machado e Nelson deveriam ser crimes de lesa-majestade.

Dir. Moacyr Góes, Brasil, 2012. João Miguel, Leandra Leal, Letícia Colin, Gracindo Junior. 90 min.

A Datilógrafa (Populaire)




Suposta comédia sobre uma jovem secretária instada pelo chefe a participar de um concurso que elegerá a datilógrafa mais rápida do país. Ah, sim: a história se passa na década de 1950.

Dir. Régis Roinsard, França, 2012. Déborah François, Romain Duris, Bérénice Bejo, Shaun Benson, Miou-Miou. 111 min.

Escrito por André de Leones
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus

Outras notícias recomendadas

Os filmes da semana – 01/12/2016

Ceia de Natal da Casa Santa Luzia

Rodízio de brigadeiro