Mestre Queijeiro

Falamos com o especialista Bruno Cabral, que lançou um site que vende queijos nacionais selecionados

Divulgação
O mestre queijeiro Bruno Cabral


Em 2010, Bruno Cabral morava em Barcelona e decidiu vir ao Brasil para conhecer a realidade do queijo artesanal no país. Apaixonado pelo assunto, ele percorreu 6 mil km em Minas Gerais, visitando fazendas, conversando com produtores, registrando métodos de produção e estudando a legislação que rege a produção e a comercialização do queijo artesanal de leite cru (não pasteurizado).

“Neste momento decidi criar o site mestrequeijeiro.com.br, pois percebi a deficiência legal que dificulta a comercialização e, pior ainda, que o consumidor conhecia muito bem os produtos importados, mas não conhecia o brasileiro”. Ele conversou com Time Out São Paulo sobre o que tem feito para mudar isso.

O que espera conseguir com o site Mestre Queijeiro?
O trabalho mais importante para mim é defender o produtor artesanal. Ele é o transmissor de uma tradição secular que faz parte da história do Brasil. Quero com isso conscientizá-lo que deve continuar acreditando no produto dele. Fazer o consumidor comprar e exigir que os mercados ofereçam esses queijos, garantindo a continuidade desta tradição. E quero tentar mudar a lei antiquada que rege a produção de origem animal.

Quais queijos você vende?
Só os produzidos artesanalmente, de Minas Gerais, São Paulo, Ceará e, às vezes, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul. O mais famoso que vendo é o Minas Artesanal da Serra da Canastra. Em Minas Gerais, são 30 mil famílias que vivem do queijo, esse Estado produz 1/5 da produção do leite no Brasil e possui 22 milhões de cabeça de gado. Hoje há muita gente defendendo este queijo, inclusive eu. Mas gosto de lembrar que temos mais de dez tipos de queijos artesanais que são produzidos há mais de um século.

Você promove queijos menos conhecidos?
Hoje estou depositando forças na defesa do queijo Colonial do oeste de Santa Catarina e Paraná. Ele é tradicionalmente produzido por imigrantes ou filhos de imigrantes italianos e alemães que trouxeram consigo a receita. Em 1985 eram 41.404 produtores e em 2006, 3.389. São números preocupantes e que exigem atenção. Temos muito de defender este queijo se não, em breve, será apenas história.

  • Para encomendar queijos do mestrequeijeiro.com.br: 96411-6196 ou contato@mestrequeijeiro.com.br. As taxas de entrega variam.

Degustação de queijos

Quando Bruno Cabral não está 'caçando' queijos por aí, ele é o chef do bar de tapas basco  Donostia, onde ele promove degustações de queijos por R$70-$80 cada (bebidas não inclusas). Por vafor, verificar o bar sobre datas e preços pelo telefone 3034-0996 ou pelo e-mail: contato@donostia.com.br.

A próxima degustação marcada acontece no dia 21 de agosto de 2013 com três queijos locais – um queijo de cabra com crosta de cinzas, um raclette mineiro e um blue cheese de cabra paulista – além de queijos e presuntos espanhois.


Escrito por Matt Phipps
 

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus
 

© 2011 - 2016 Time Out Group Ltd. All rights reserved. All material on this site is © Time Out.