Time Out São Paulo

23° Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade

Este evento terminou

23° Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade

Preço . Confira os preços de sessões de cinema, peças e Show do Gongo na programação.

Data 11 Nov 2015-22 Nov 2015

Horário de abertura Confira os horários das atrações na programação.

O maior festival LGBTQ da América Latina exibe 138 filmes de 27 países, além de trazer espetáculos de teatro, shows, leitura dramática, performances e a 1ª Conferência Internacional [SSEX BBOX] & Mix Brasil. A partir desta edição, o evento homenageia Suzy Capó, uma das fundadoras do Mix Brasil.

Inédito em São Paulo, o longa Te Prometo Anarquia (México-Alemanha) de Julio Hernández Cordón abre o Mix. O evento conta com a presença do ator do filme Diego Calva Hernández. Selecionado para os festivais de Locarno e Toronto e recentemente premiado como melhor longa latino-americano do Festival do Rio, a história da película gira em torno de Miguel, de família de classe média, e Johnny, de bairro humilde, que são skatistas e namorados. Para financiar seu estilo de vida, eles vendem o seu próprio sangue e de sua gangue a clínicas clandestinas, até que um grande trabalho para a máfia dá errado.

No Panorama Internacional estão confirmados longas-metragens e documentários premiados recentemente em Festivais Internacionais de Cinema como a Berlim, Locarno, Frameline e Toronto, entre outros. Destaques para Grandma (EUA), de Paul Weitz, com Lily Tomlin e Laverne Cox; Nasty Baby (EUA), de Sebastián Silva, protagonizado pela atriz Kristen Wiig e ganhador do Teddy Bear de longa-metragem em Berlim, Como Vencer no Jogo (Sempre) (Tailândia/EUA/Indonésia), de Josh Kim, que concorre a uma vaga ao Oscar de melhor filme estrangeiro pela Tailândia, Amor Eterno (Espanha) de Marçal Forés, Margarita com Canudinho (Índia), de Shonali Bose, Histórias de Nossas Vidas (Quênia), de Jim Chuchu, vencedor do Teddy de melhor documentário em Berlim e Tab Hunter - Confidencial (EUA), de Jeffrey Schwarz.  

Já no circuito nacional, o festival premiará com o Coelho de Ouro o melhor longa-metragem brasileiro. Os concorrentes, a maioria inédito na capital paulista, são A Paixão de JL, de Carlos Nader, A Seita, de André Antônio, Âncora do Marujo, de Victor Nascimento, Califórnia, de Marina Person, O Animal Sonhado, de Breno Baptista, Luciana Vieira, Rodrigo Fernandes, Samuel Brasileiro, Ticiana Augusto Lima, Victor Costa Lopes, Quase Samba, de Ricardo Targino, Ralé, de Helena Ignez, TupiniQueens, de João Monteiro, Vozeria, de Raphaela Comisso, Yorimatã, de Rafael Saar.

Convidados
Vários convidados nacionais e internacionais marcarão presença no 23° Festival Mix Brasil como: Wieland Speck, diretor do Panorama do Festival de Berlim, Carol Queen, uma das mais importantes ativistas pelos direitos da comunidade queer e de profissionais do sexo, também foi responsável pela inclusão da bissexualidade, como uma identidade positiva, dentro da sigla LGBTQ, Daniela Sea (L Word), atriz, cineasta, musicista e ativista americana, Buck Angel , ator, produtor, diretor e ativista da causa trans, Karine Teles (Que Horas Ela Volta? e Otimismo), atriz e diretora, e os diretores Carlos Nader, André Antônio, Victor Nascimento, Marina Person, entre outros.

Teatro
Diversas atrações que envolvem teatro, dança, música, literatura, performances e novos talentos - Drag Queens completam a programação do Mix. O Dramática em Cena traz a estreia nacional da peça 'Homens nas cidades', monólogo com Laerte Mello e direção de Francisco Medeiros, além de '120 dias de Sodoma', texto e direção de Rodolfo García Vázquez, 'Tadzio', peça de Zen Salles e direção de Dan Rosseto, 'Phedra por Phedra', direção de Robson Catalunha, 'Maria que Virou Jonas', texto de Cássio Pires, 'Desamor', de Walcyr Carrasco e 'Marica', de Pepe Cibrián Campoy.

Música

No Mix Music, uma das grandes atrações será o rapper Rico Dalasam. O artista, que desafia a noção de normalidade na música e no gênero, inaugurou a cena queer rap no Brasil. Presente na cena do hip-hop há mais de 14 anos, a DJ, produtora musical e MC, Luana Hansen, também irá se apresentar no festival. No repertório composições engajadas que questionam o machismo, a opressão e a homofobia.

E o tradicional Show do Gongo não poderia ficar de fora. As atrações serão submetidas ao júri popular e convidados comandos por Marisa Orth. Os interessados poderão se inscrever no balcão de credenciamento durante o festival ou até horas antes do início das gongadas, que acontece em São Paulo no dia 17 de novembro às 21h.

Conferência Internacional [SSEX BBOX] & Mix Brasil
Com curadoria de Priscilla Bertucci, o evento traz palestras, mesas de debates, e workshops com pesquisadores, ativistas, artistas, trabalhadores sexuais e pessoas que vivenciam questões relativas ao gênero e à sexualidade de forma não convencional. A Conferência promoverá a reflexão de novas estratégias e enfrentamento à homofobia e à transfobia. Presenças confirmadas de mais de 70 palestrantes, entre eles Buck Angel, Jean Wyllys, Laerte Coutinho, Tatiana Lionço, João W. Nery, Sérgio Viula, Luana Hansen, Carol Queen e outros. Tudo com entrada gratuita.

Confira a programação completa do festival no site mixbrasil.org.br.

Escrito por Time Out São Paulo editors
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus