Time Out São Paulo

Roberta Sá

O novo álbum leva a um passeio por diferentes vertentes da MPB 

No cenário atual dentre tantas novas cantoras, Roberta Sá se destaca pela consistência de seu trabalho – já são dez anos de estrada musical, e ela foi eleita a melhor cantora de MPB no último Prêmio da Música Brasileira.

Os motivos estão expostos nesse quinto álbum: sua voz desliza segura através de 12 faixas que levam a diferentes veredas da música popular brasileira. Ela visita o samba (‘O Nego e Eu’, de João Cavalcanti), o frevo que remete aos trios elétricos de Carnaval (‘Deixa Sangrar’, de Caetano Veloso), a dinâmica balada que acelera e vira mistura, com
direito a orquestra com muitos sopros (‘Lua’, de Pedro Luís e Mário Sève, com participação de sua banda A Parede).

Um dos bons momentos é a interpretação do maxixe de Moreno Veloso, Quito Ribeiro e Domenico Lancellotti, ‘A Brincadeira’, com direito a uma flauta que reforça o clima lúdico. Enquanto a melodia de alto potencial radiofônico ‘Altos e Baixos’ domina o ouvinte pelo pop. Já na manhosa faixa-título, a voz marca cada sílaba, pintando o frio de São Paulo, o amor, a sensualidade, o ninho e a tal segunda pele.

Roberta ataca ainda de compositora em ‘No Bolso’, uma parceria com Pedro Luís que é animada por um tempero latino, com metais. Além da interpretação de Roberta, o que confere unidade ao disco são os arranjos orquestrais, de bom gosto, presentes ao longo de todo o trabalho. O diretor musical Rodrigo Campello assinou a maioria das faixas. 

O problema é que, apesar disso e dos estilos variados, no final há uma sede por mais dinâmica. O excesso de produção às vezes deixa esse gosto. 

Escrito por Fabiana Caso
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus

Outras notícias recomendadas

Carnaval de rua em SP

20 shows gratuitos no aniversário de SP

Novidades no Jamie´s Italian