Time Out São Paulo

7 coisas que você não sabia sobre Cat Power

Conversamos com a cantora, compositora e eventual atriz americana Cat Power que se apresenta em São Paulo 


Desde que apareceu, em 1995, com Dear Sir, seu minimalista álbum de estreia, Cat Power – nascida Charlyn Marshall, em Atlanta, nos Estados Unidos – tem intrigado e confundido. Suas melhores músicas são confissões em estado bruto. Não importa se está discutindo sua bebedeira, seu estado mental ou seus relacionamentos, Power faz uma autoanálise constante em suas letras e já foi chamada de musa da fossa indie. Abaixo, conheça algumas coisas que nem todo mundo sabe sobre ela, que se apresenta em São Paulo, no Cine Joia (leia sobre o show aqui):

1 - Ela tem sangue cherokee.
“Minha mãe me contava sobre o avô dela. Ele morreu antes de eu nascer, mas era um índio cherokee. Tenho sangue cherokee tanto do lado da minha mãe como do meu pai.”

2 -  Ela está ligada em outros mundos além deste aqui.
“Se tive experiências sobrenaturais como milhares de outras pessoas já tiveram? Sim. Neste mundo você é maluca, precisa tomar remédios a base de lítio e receberá tratamento de choque se discutir isso, porque é inválido... Sei que pareço louca, mas não sou.”

3 -  Ela nasceu prematura, o que quase a deixou cega e surda.
“Quando eu era bebê, fiquei numa incubadora por dois ou três meses. Meus ouvidos e olhos estavam muito infeccionados, então não sabiam se eu seria capaz de ver ou ouvir. Acho que ser tirada do útero da minha mãe e ir direto para esse lugar, onde havia muita luz e calor, completamente alienada de qualquer toque humano, causou alguma coisa no meu subconsciente. Acho que minha mente desencadeou algum tipo de mecanismo de defesa.”

4 - Tem sonhos muito vívidos.
“Minha avó era muito religiosa e, quando eu ia dormir, depois de ler minhas histórias favoritas, ela lia a Bíblia para mim. Às vezes, eu caía da cama e a pessoa que estava lá quando acordava no chão era sempre um cara que se parecia com Jesus, com muita luz branca. Era um sonho lúcido. Pessoas entram no meu quarto desde que sou um bebezinho. Quando tinha 12 ou 13 anos, era uma menina dos anos 1800 que flutuava pelo quarto, depois foram prostitutas.”

5 -  Ela perdeu o namorado para a modelo Agyness Deyn em junho.
“Eu estava namorando havia quatro anos e aprendendo muitas coisas novas, por exemplo, como funciona uma família saudável. Havia muita esperança, positividade e autocrescimento. Então, isso desmoronou. Sabe quando você está torcendo para o sucesso do relacionamento? Quando isso falha, você se sente um fracasso e todas as coisas que vêm junto – [ser] uma mulher de 40 anos, por exemplo – são são pesadas. Mas acho que estou muito mais otimista agora do que antes."

6 - Ela adora comédia stand-up.
“É a coisa mais corajosa que já vi. É como uma neurocirurgia. Eles estão lá, sozinhos, e simplesmente fazem um buraco em si mesmos.”

7 - Ela está de olho em Hollywood.
“Quero fazer grandes filmes. É algo que sempre quis. Meu ex-namorado é ator e acabei convivendo com esse universo um pouco mais...”  

Escrito por Kim Taylor Bennett
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus

Outras notícias recomendadas

Os filmes da semana – 01/12/2016

Ceia de Natal da Casa Santa Luzia

Rodízio de brigadeiro