Time Out São Paulo

Mazzy Star - Seasons of Your Day: crítica do disco

No que se refere a ausências, 17 anos é um tempo bem longo para uma banda ficar fora dos estúdios: ainda mais do que os 15 anos de expectativa pelo álbum Chinese Democracy, do Guns N’ Roses, e apenas cinco a menos do que o longo inverno do My Bloody Valentine. Mas, embora a espera épica pelo quarto álbum do Mazzy Star deva ter sido uma época frustrante para a pessoa encarregada de atualizar a seção de notícias do site da banda, isso não foi uma surpresa.

Afinal, este é um grupo que recebeu status de cult graças ao som moroso, que flutua entre o indie-folk psicodélico da cena do Paisley Underground e o grunge suavemente difuso. Uma de suas assinaturas musicais, o hit de 1994 ‘Fade Into You’, era uma ode vagamente sinistra à auto-anulação romântica. Mesmo os títulos dos álbuns (She Hangs Brightly, de 1991, So Tonight That I Might See, de 1993, e Among My Swan, de 1996) têm uma espécie de obscuridade gramatical encantada.

Nem a vocalista Hope Sandoval nem o guitarrista David Roback jamais fizeram os tipos que são atormentados pela urgência. “Eu, na verdade, não percebo o tempo”, Sandoval disse à Rolling Stone há alguns anos, em uma entrevista sobre seu projeto paralelo, The Warm Inventions (ainda mais contemplativo). “Não contamos os dias e os meses. E os anos...”

Seasons of Your Day – que conta com Colm O’Ciosoig, do My Blood Valentine, e o saudoso guitarrista Bert Jansch, morto há dois anos – aparentemente foi concluído por volta de 2009. É um disco comprido, encantado e sonolento, com um som que não mudou nada, apesar do intervalo de mais de uma década até que a Bela Adormecida saísse de seu caixão de vidro. Como sempre, é moldado, texturizado e colorido pela acústica transparente e pelo slide elétrico da guitarra de Roback, assim como pela voz sorumbática adorável de Sandoval, que tem o hábito de sair do foco cada vez que a letra intimista começa a formar uma imagem na nossa cabeça.

Mas isso não significa que não seja variado. ‘Flying Low’ tem mais de sete minutos de um blues confuso e estonteante com influência dos Doors. ‘Lay Myself Down’ é essencialmente um pop acústico viajante, como uma alucinação. Ah, se o Beach House, dupla de dream-pop geralmente citada como a sucessora da banda, pudesse oferecer, junto com seus bocejos perfumados, a intensidade provinciana do dueto inspirador com Jansch em ‘Spoon’.

Mas Seasons of Your Day é um álbum que comove mais quando se desvia menos da sonoridade clássica do Mazzy Star. “Sei que você sentiu minha falta”, canta Sandoval na faixa-título, cuja melodia em tom menor é abalada pela percussão e por um letárgico quarteto de cordas, cheia de uma doce tristeza de outono. “Bem, sabe, eu também senti sua falta...” Talvez só tenhamos de esperar 16 anos da próxima vez.  

Escrito por Bella Todd
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus

Outras notícias recomendadas

Os filmes da semana – 01/12/2016

Ceia de Natal da Casa Santa Luzia

Rodízio de brigadeiro