Time Out São Paulo

Espaços de co-working de São Paulo

Cresce a busca – e a oferta – de escritórios temporários e coletivos em São Paulo. Conheça os melhores desses espaços

Uma jornada das 9h às 17h hoje parece antiquada, pois cada vez mais pessoas adotam o conceito de home office. Mas trabalhar em casa tem desvantagens – não há com quem discutir ideias, falta espaço para receber clientes e alguém para consertar a impressora, entre outras.

Os espaços de co-working, onde é possível alugar temporariamente uma mesa ou sala e trabalhar ao lado dos mais variados profissionais, estão brotando em toda São Paulo para atender quem não têm escritório fixo. É uma solução para freelancers, start-ups e pequenas empresas, sem um aluguel muito caro e com o bônus de poder fazer networking.

“Há mais espaços de co-working porque há mais empreendedores”, afirma Ana Fontes, organizadora da Virada Empreendedora (viradaempreendedora.com.br), feira de empreendedorismo que aconteceu em abril.

“O Brasil se tornou muito mais empreendedor nos últimos dez anos.” Um dos palestrantes da feira, Alykhan Karim, americano que fundou a loja online de vinhos Sonoma.com.br (sonoma.com.br) no Brasil, trabalhou no Ponto de Contato quando chegou a São Paulo. “Os espaços de co-working são interessantes porque você está junto de outros profissionais. Muitos estrangeiros têm chegado aqui nos últimos anos. Além disso, há brasileiros realmente bacanas, fazendo coisas interessantes também.”

Porém é preciso mais do que algumas mesas e um roteador para criar um espaço de co-working. Salas de reunião, copa e serviços de secretária geralmente são padrão, mas as empresas start-ups buscam extras, como workshops e consultoria. A seguir, descubra os melhores lugares para levar seu lap-top e mergulhar no trabalho. E, para quem não quer ou não pode pagar por um escritório, trazemos dez cafés com excelente conexão Wi-Fi.

Ponto de Contato | Estação coworkingB4i | Link2u 
The Hub | Plug N' WorkMyHub Coworking

Ponto de Contato

R. Augusta, 2.690, 3o andar, Galeria Ouro Fino (3063-2049 / ptodecontato.com.br / @ptodecontato). Horário Seg. a sex, 9h-21h. 

Rubens Vieira/Divulgação

Ideal para: Treinar o inglês e curtir as lojas e restaurantes nos jardins. 

Popular entre estrangeiros que estão na cidade por curtos periodos, assim como entre arquitetos, gurus do marketing e prodígios da informática brasileiros, o Ponto de Contato é um espaço leve e arejado, com um conceito de trabalho amistoso, mas sério. “Afinal, as pessoas vêm aqui para trabalhar”, explica o co-proprietário Marcus Trugilho. “E sabem que a pessoa ao lado está fazendo o mesmo.”

Trugilho fala um inglês quase perfeito e fica disponível para ajudar os estrangeiros, que podem encontrar na língua um obstáculo na hora de contratar um serviço de motoboy, por exemplo. Fernanda Nudelman, sócia de Trugilho, começou a Ponto de Contato há mais de quatro anos, depois que saiu de uma empresa para trabalhar sozinha.

E, embora o ambiente do espaço seja tranquilo, há muitas oportunidades para socializar, fazendo uma pausa para o café na varanda do telhado ou se afundando em um sofá do átrio. Estações de trabalho podem ser contratadas por hora ou como parte de um pacote mensal. Os locatários entram e saem usando um sistema biométrico de leitura digital, que contabiliza as horas utilizadas além de abrir e fechar a porta.

Preços Mesa, R$ 15 por 1h; pacote mensal, R$ 250 (25h)-R$ 2.800 (720h). Taxa de inscrição, R$ 60. (preços de maio de 2013).
 

Estação Coworking

R. Mourato Coelho, 957, V. Madalena, (3031-0026 / estacao.co / @estacaoco). Horário Seg. a sex., 9h-21h.

Divulgação

Ideal para:Trabalhar no coração da charmosa Vila Madalena.

Esse espaço iluminado na Vila Madalena Esse espaço iluminado na Vila Madalena é novidade no mundo do co-working e, portanto, ainda está ganhando ritmo. Mas o lugar é simpático, atraente e bem pensado. As salas de baixo foram quebradas para criar um escritório longo e aberto, com mesas grandes. Na parte externa, há o quintal (que é a área social) e uma cozinha; subindo uma escada em espiral há uma sala de reunião.

É possível escolher entre 11 planos, começando pelo pacote básico – com aluguel de mesa por R$ 15 a hora –, passado por quem só precisa de uma mesa de apoio para sair do home office e ampliar sua rede de contatos (de R$ 100 a R$ 935), até chegar ao pacote de horas ilimitadas para até seis pessoas (R$ 3.960). E todos os planos incluem café gourmet servido na hora, variedade extensa de chás, frutas, água e biscoitos, além de café da manhã e lanche da tarde.

Preços Mesa, R$ 15 por 1h; pacote mensal, R$ 235 (25h)-R$ 3.960 (ilimitado para 6 pessoas).
 

B4i

R. Groelândia, 808 e 848, Jd. Europa (3372-1717 / b4i.com.br). Horário Seg. a sex, 8h-22h; sáb., 11h-17h.

Divulgação

Ideal para: Serviços completos de escritório e para quem pode gastar mais. 

Aberto em 2013, o B4i é o máximo em termos de co-working: um espaço que não mede custos, no coração do Jardim Europa. Dos mesmos donos da agência de comunicação Brain4Ideas, o B4i tem decoração impressionante , desde a fachada coberta de plantas até as paredes de tijolo exposto, as mesas de tampo de vidro e os murais coloridos.

Além dos serviços de praxe, o B4i se supera com um estúdio fotográfico, que em breve estará disponível para aluguel a R$ 490 por dia. Os serviços de escritório virtual incluem uso do endereço comercial e gerenciamento de correspondência por R$ 89 mensais, ou R$ 350 por um pacote mais personalizado, com atendimento telefônico.

Os membros podem escolher um espaço fixo por R$ 1.430 mensais ou uma mesa por R$ 780. Salas particulares também estão disponíveis para aluguel de curto e médio prazos. Os extras, como sala de reunião e espaço para eventos, são cobrados à parte, assim como as vagas no estacionamento e os armários com cadeado.

Preços Mesa, R$ 780-R$ 1.430 por mês; sala de reunião, R$ 55-R$ 160 por 1h.
 

Link2u

Av. Paulista, 2.202, 3o andar, Consolação (3253-7000 / link2u.com.br / @Link2UCoworking / Metrô Consolação ou Paulista). Horário 24 horas. 


Divulgação


Ideal para: Ter acesso 24 horas e ficar bem localizado.

Não há localização mais conveniente do que a movimentada Avenida Paulista para ter à disposição uma mesa entre uma reunião e outra ou para trabalhar até tarde, quando os prazos estão estourando. O Link2u é 24 horas e muito bem localizado, a apenas alguns metros do metrô Consolação. E a vista da sala de reunião, para os poderosos edifícios da Paulista, é imbatível. “Não é a praia, mas é a segunda melhor coisa”, brinca Tâmara Ferri Juliani, que abriu as duas unidades da Link2u com seu pai, Roberto, em março de 2012.

Os dois espaços, cada um com capacidade para cerca de 40 pessoas, ficam no mesmo prédio e têm um clima animado. Pôsteres e outros enfeites coletados em viagens ao exterior dão mais personalidade ao escritório um tanto sem graça. O Link2u organiza eventos mensais de relacionamento, tais como cafés da manhã, para quem quer trocar ideias e fazer conexões.

Os pacotes custam a partir de R$ 180 por 20 horas mensais, incluindo o uso de endereço comercial, equipamentos básicos de escritório e uma hora na sala de reunião. Os pacotes para duas ou mais pessoas vão de R$ 1.200 a R$ 1.500 mensais, dependendo do número de pessoas. Está na cidade por apenas um dia? A estação de trabalho custa R$ 15 por hora.

Das 9h às 18h, uma recepcionista lida com correio e telefone, mas o escritório tem acesso a noite toda, desde que combinado previamente. E o prédio conta com segurança 24 horas.

Preços Mesa, R$ 15 por 1h; pacote mensal, R$ 180 (20h); pacotes para grupos, R$ 1.200- R$ 1.500.
 

The Hub

R. Bela Cintra, 409, Consolação (3539-8574 / saopaulo.the-hub.net / @thehub). Horário Seg. a sex., 9h-20h. Outro endereço R. Fradique Coutinho, 914, 2o andar, V. Madalena (2532-1584) Horário Seg. a sex., 10h-18h. Sáb,. se houver demanda e sob o pagamento de taxa extra de R$ 15, por hora.


Kate Stanworth/Divulgação

Ideal para: Start-ups e freelancers com conceito social ou sustentável. 

Parte de uma rede global presente em 30 cidades, The Hub foi um dos primeiros espaços de co-working  em São Paulo e, hoje, tem dois endereços na Cidade – na Rua Bela Cintra, região central, e no andar superior do Ekoa Café, na Vila Madalena.

Muito mais que um simples lugar para trabalhar, o Hub vai fundo em sua filosofia de apoiar o empreendedorismo inovador, sustentável e social. Palestras e eventos, organizados nas duas filiais quase diariamente, ajudam a fomentar o espírito colaborativo entre os membros. Para comer, dobre a esquina e vá ao  Sujinho para um almoço à base de carne ou à padaria Nova Cintra (R. Bela Cintra, 388), do outro lado da rua, para algo mais simples.

O ambiente é dinâmico e o pessoal trabalha concentrado. Prepare-se para dividir mesa com start-ups locais, como a empresa de entregas de bike Carbono Zero Courier e a Samba Pix, especializada em impressão de fotos ao estilo Polaroid.

O sucesso do primeiro espaço – o número de membros cresceu 25% desde o início de 2013 – levou o Hub a abrir o segundo, na Vila Madalena, que pode ser utilizado por membros da Bela Cintra e é o eixo dos eventos, oficinas e cursos. “A Vila Madalena é um bairro tão importante da cidade para criatividade, sustentabilidade e cultura, que queríamos estar presentes lá”, afirma João Vitor Caires, gerente de comunicação do Hub.

A política de exigir que os membros paguem uma anuidade (R$ 530) além do pacote mensal (de R$ 75 por 10h até R$ 800 por tempo ilimitado) pode não atender os profissionais mais casuais. Mas não há controle de entradas e saídas: a política é confiar nos membros, que contabilizam sozinhos as horas que utilizaram.

Preços Pacotes mensais, R$ 75 (10h)-R$ 800 (ilimitado); anuidade, R$ 530.
 

Plug N' Work

Av. Nova Independência, 1.061, Brooklin (5103-2209 / plugnwork.com.br / @PlugNWorkSP). Horário Seg. a sex., 8h-22h; sáb., 8h-18h. 


Divulgação

Ideal para: Start-ups em busca de investimento e consultoria de negócios. 

Há um quê empresarial no ambiente da PlugN'Work, no Brooklin. Oferecendo eventos de networking, consultoria de negócios, coaching e aconselhamento, além do aluguel padrão de estações de trabalho, o espaço se tornou um polo de start-ups.

“A ideia por trás da Plug N’ Work é criar uma rede de pessoas, um ecossistema de negócios e indivíduos”, explica Jorge A. J. Pacheco, um dos co-fundadores. “Realmente acreditamos que as pessoas e os relacionamentos são a chave para um bom negócio.” Pacheco e seus dois sócios procuram start-ups para investir, o que torna o lugar interessante para empresas que querem um impulso.

Há quase 50 estações de trabalho no antigo galpão, vibrante e colorido, com mais de 26 empresas trabalhando atualmente. O Brooklin não tem o burburinho criativo de bairros como a Vila Madalena, mas é uma próspera região empresarial e comercial, com bares, restaurantes e até mesmo uma estação do projeto Bike Sampa, de aluguel de bicicletas, a algumas quadras do Plug N’ Work.

Os serviços extras incluem um auditório de 50 lugares e salas de reunião espaçosas. Pegue seu laptop e sente-se confortavelmente no lounge ou no jardim – que tem sinal de internet – quando estiver sol.

“A maioria das pessoas que trabalha aqui tem contratos de longo prazo, pois isso ajuda a construir uma comunidade”, conta Pacheco. Mas também há aluguel de mesas por R$ 45 por dia. Os pacotes mensais custam a partir de R$ 750, incluindo 4 horas de sala de reunião. Se quiser um lugar mais privativo para trabalhar, há salas com paredes de vidro no andar cima, com espaço para até três pessoas (R$ 1.850).

Preços Pacotes mensais a partir de R$ 750 (12h de mesa e 4h da sala de reunião).

MyHub Coworking

R. Dr. Gabriel Piza, 577, Santana (2359-2422 / myhubcoworking.com.br / @myhubcoworking / Metro Santana). Horário Seg. a sex, 9h-21h.


Divulgação

Ideal para: Co-working a preços acessíveis na Zona Norte.

Localizado em uma rua residencial tranquila, a apenas algumas quadras do Metrô Santana e próximo também do Shopping Center Norte, o MyHub Coworking é um pioneiro na Zona Norte da cidade e conta com agência de assessoria de imprensa e produtora de cinema entre sua variada gama de clientes.

Eventos regulares de relacionamento e palestras são um atrativo para alguns dos frequentadores. Patrícia Kashima, da KSH Filmes, trabalha no local há mais de um ano e afirma: “Relacionar-me com pessoas de diversas áreas é uma grande vantagem de trabalhar aqui”.

Há vários pacotes disponíveis, começando com R$ 50 por 10h até o pacote de período integral, por R$ 600, com acesso à mesa fixa no escritório. Se houver demanda, o espaço abre aos sábados. Você pode andar alguns metros para fazer uma happy hour no discreto bar e loja de cervejas artesanais Empório Laura Aguiar (Rua Doutor Gabriel Piza, 559, Santana (2977 0471/emporiolauraaguiar.blogspot.com).

Preços R$ 50 por 10h; pacote mensal, R$ 600 por pessoa ou R$ 1.600 para até 4 pessoas (ilimitado).
 


Eventos de networking

Para algumas start-ups, trabalhar em espaços de co-working traz boas oportunidades de networking. Se você quer conectar-se com outros empreendedores, os eventos abaixo podem ser ótimas dicas para começar.


Escrito por Anna Fitzpatrick
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus

Outras notícias recomendadas

Os filmes da semana – 01/12/2016

Ceia de Natal da Casa Santa Luzia

Rodízio de brigadeiro