Time Out São Paulo

Prato do dia

São Paulo tem uma especialidade para cada dia da semana. Gibby Zobel investiga as origens dessa tradição

Segunda-feira | Terça-feira | Quarta-feira | Quinta-feira | Sexta-feira | Sábado | Domingo


Sábado é dia de feijoada – quando as cumbucas passam borbulhando com feijão, linguiça e miúdos de porco, parte do ritual que ficou imortalizado na poesia malandra de Chico Buarque, em Feijoada Completa: “Mulher, você vai gostar/ tô levando uns amigos pra conversar/ Eles vão com uma fome que nem me contem/ eles vão com uma sede de anteontem/ Salta cerveja estupidamente gelada prum batalhão/ e vamos botar água no feijão”.

Mas a semana começa na segunda-feira, com virado à paulista no cardápio. Terça tem dobradinha. Quarta é o prato de Chico de novo e quinta é dia de rabada. Na sexta, peixe – até porque o estômago merece um descanso. E domingo é a vez da massa ou pizza – embora esta também recheie outras noites da semana, como uma das especialidades que São Paulo adaptou de forma especial da Itália. Esse é o roteiro gastronômico da maior parte dos bares e restaurantes: um prato diferente para cada dia da semana.

Jeitão caseiro
Conhecidas como pratos feitos (‘PFs’), ou comerciais, essas refeições básicas surgiram no século 16 com os tropeiros – vaqueiros que viajavam pelo país e precisavam de comida rápida e barata no trajeto. Nas últimas décadas, restaurantes e botecos de São Paulo começaram a servir pratos com jeitão caseiro para atender à demanda da crescente classe trabalhadora da cidade – que, obviamente, não tem tempo de almoçar em casa.

Ao longo dos anos, os pratos feitos evoluíram, e o cardápio da semana em São Paulo pode render um estudo antropológico, graças à complexa mistura de culturas e culinárias da cidade. Alguns casos são fáceis de entender – 'peixe' às sextas, por exemplo, como alternativa à carne, é padrão em qualquer país católico. O Papa Nicolau I criou essa lei eclesiástica no século 9, prevendo um dia de abstinência em memória a Cristo, que sofreu e morreu nesse dia da semana. Mas por que feijoada aos sábados? E virado à Paulista na segunda? E, afinal, do que é feito?

A especialista em folclore Lilian Vogel sugere algumas respostas. Como diretora da Comissão Paulista de Folclore, ela pesquisou a tradição do 'virado' – um prato cheio de sustança – para começar a semana. “As pessoas comem o que sobrou do fim de semana. Pode ser feijão, ovo, abóbora, alguma carne ou frango. Você despeja as sobras em um caldo e vai virando, engrossando com farinha de mandioca ou de milho”, explica. “Em São Paulo, ficou conhecido como virado à Paulista.”

As origens da 'dobradinha' (tripas com feijão branco, bacon e linguiça) na terça e da 'rabada' na quinta são menos claras, mas a 'massa' e a pizza aos domingos são sinais da forte herança italiana presente na cidade. O faturamento das pizzarias paulistanas depende quase exclusivamente dos domingos, que tem as noites dedicadas a uma bela redonda.

Voltando à 'feijoada', Vogel tem uma teoria interessante: “Você tem de deixar a carne de molho para tirar o sal, o que demora. Então, faz sentido que se façam esses preparativos no começo da semana, ficando prontos para quarta e, novamente, no sábado”. Em tempo: seja quarta ou sábado, sempre é bom colocar as cervejas para gelar. Valeu, Chico.

 


Onde comer


Virado à Paulista

Sujinho Rua da Consolação, 2.068, Consolação, Metrô 2, Verde, Consolação, 11 3231-5207. R$ 28,60. 11h30-4h. Não aceita cartão nem cheque. sujinho.com.br.

Dobradinha

Bar da Dona Onça Av. Ipiranga, 200, Ed. Copan, lj. 27 e 29. R$ 42. Seg. a qua. 12h-23h; qui., sex. e sáb, 12h-24. bardadonaonca.com.br

Feijoada

Bolinha Av. Cidade Jardim, 53, Jd. Europa, 11 3061-201. R$ 51-R$ 97. Seg., 11h-17h; ter. a dom., 11h-0h. bolinha.com.br.

Rabada

Dalva e Dito R. Pe. João Manuel, 1.115, Jd. Paulista, 11 3068- 4444. Rabada com canjiquinha para uma pessoa, R$ 55. Seg. a qui., 12h-15h e 19h-0h; sex., 12h-15h e 19h-1h; sáb., 12h-15h e 19h-3h; dom., 12h-17h. dalvaedito.com.br.

Peixe

Amadeus R. Haddock Lobo, 807, Jd. Paulista, 11 3061-2859. Metrô 2 - Verde, Consolação. R$ 54-R$ 118; couvert, R$ 10-R$ 14; almoço executivo, R$ 67. Seg. a sex., 12h-15h e 18h-0h; sáb., 12h-16h30 e 19h-0h; dom., 12h-16h30 e 19h-23h. restauranteamadeus.com.br.

Massa ou Pizza

Speranza R. 13 de Maio, 1.004, Bela Vista, 11 3288-8502. R$ 42-R$ 68,50. Seg. a sex., 18h30-1h30; sáb., 18h30-2h; dom., 18-1h. pizzaria.com.br.

Escrito por Time Out São Paulo editors
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus

Outras notícias recomendadas

Carnaval de rua em SP

20 shows gratuitos no aniversário de SP

Novidades no Jamie´s Italian