O melhor da cozinha portuguesa em São Paulo

Pensando na Páscoa, selecionamos quatro restaurantes portugueses na cidade

Diogo Dória/Divulgação
Interior da Tasca da Esquina

A culinária lusitana é servida nas mesas desta ex-colônia há quase 515 anos (a serem completados em 22 de abril, logo depois do feriado de Páscoa). Apesar do imenso laço histórico e cultural que nos une, somente há pouco mais de duas décadas esta extraordinária gastronomia ganhou, no Brasil, admiração e status sinceros. Quem consegue, afinal, resistir aos apelos de uma generosa bacalhoada (nesta Sexta-Feira da Paixão ou mesmo nos dias pagãos) ou lutar contra a tentação dos doces de gemas de ovos – que monges e freiras portugueses aprenderam a fazer para não desperdiçar parte do alimento, já que a clara era usada para engomar hábitos, clarificar vinhos e confeccionar hóstias. A Time Out preparou uma lista com os seis melhores restaurantes portugueses da cidade. Enjoy e boa páscoa!

Desde sua abertura, em julho de 2011, a filial brasileira do lisboeta Tasca da Esquina (Al. Itu, 225, Jd. Paulista, 31411149/ tascadaesquina.com/SP) oferece a clássica gastronomia de Lisboa com roupagem contemporânea em um ambiente despojado, ao melhor estilo rustic-chic, com fartos detalhes em madeira e tijolos aparentes. Em dias nobres como a comemoração da Páscoa peça o bacalhau ao forno, servido com batatas e cebola, assado à perfeição, com lascas que se soltam como pétalas. O lugar é charmoso, frequentado por gente bonita e descolada.

O chef português Vitor Sobral tem mesmo se revelado um exímio desbravador de esquinas. Em Lisboa, possui a Tasca da Esquina original e também a Cervejaria da Esquina. Em Luanda (Angola), possui a Kitanda da Esquina. São Paulo ganha agora nova esquina, com o ótimo Taberna da Esquina (rua Bandeira Paulista, 812, Itaim, tel. 3167 6489). Inaugurado há menos de dois (em ótimo ponto, esquina com a rua Leopoldo Couto Magalhães) , a casa bem iluminada, com cozinha exposta aos clientes, oferece petiscos sugestivos como a patanisca de bacalhau e legumes com creme de feijão frade, ou a alheira com quiabos grelhados e pickles de cenoura, ambos imperdíveis. Prove o bacalhau grelhado ou o cordeiro, grelhados à perfeição, e experimente o sugestivo pudim de azeite e mel no final, junto com o excelente café expresso da casa.

No Jardim Paulista fica o tradicional e elegante A Bela Sintra (R. Bela Cintra, 2.325, Jd. Paulista, 3891-0740. abelasintra.com.br/sao-paulo), que ocupa o posto de número 1 em sofisticação da capital. Carlos Bettencourt, português de raíz, construiu sua iniciação no saudoso Antiquarius carioca. Dese que assumiu seu próprio empreendimento, soube conquistar, por aqui, uma clientela rica que come com o mesmo desejo de ver e ser visto entre os endinheirados da cidade. Oferece, em contrapartida, ótima carta de vinhos e um dos melhores clássicos da cidade _ um tenro bacalhau a lagareiro com batatas ao murro douradas impecavelmente. Para completer, não abandone o restaurante sem experimentar o toucinho do céu entre as chamadas sobremesas “Conventuais” servidas. É uma benção, ou uma perdição, dependendo do ponto de vista.

Se a ideia é comer bem em um ambiente mais minimalista e menos caro (anote aí, menos caro, não barato), a dica é a Tasca do Zé e da Maria (R. dos Pinheiros, 434, Pinheiros, 3062-5722/ tascadozeedamaria.com.br). Comece com o bacalhau à Beneditina – o peixe desfiado com purê de batata gratinado e que vem em uma panelinha. Perfeito para quem gosta de bacalhau, mas não é um apaixonado. O sabor é suave e dá para duas pessoas ‘petiscarem’ como entrada. De prato principal, o ravióli de coelho com ragu de cogumelos vai agradar os apreciadores de sabores caipiras. O gosto do recheio lembra os miúdos de galinha (fica o aviso). E os fumantes vão gostar da área externa reservada a eles, de longe o melhor espaço da casa.

Quem circula pela avenida Bandeirantes irá se surpreender com o gigantismo da construção do restaurante Rancho Português (avenida dos Bandeirantes, 1051, Vila Olimpia, esquina com rua Alvorada, tel. 2639 2077), mais um empreendimento de sucesso do grupo de empresários de origem portuguesa que já controla casas famosas como Barbacoa, América além da rede de postos Graal. O tamanho faz justiça à qualidade reconhecida do seu prato mais famoso, o Leitão à Bairrada _ cozido lentamente no forno e cuja receita original remonta ao século 17, nas terras da Bairrada. A casa também oferece ótima alheira de petisco, boas opções como o bacalhau com natas ou o famoso bacalhau da rampinha, à moda da cidade do Porto, cozido com brócolis, ovo cozido, pimentão assado, cebola cozida e salsinha. O pastel de Belém assado na hora deixou saudades com sua cremosidade e ponto de açúcar perfeitos.

Quer uma ótima opção para quem ainda consegue ver beleza e poesia no centro antigo de São Paulo? Escolha sem medo de errar o agradável Tasca do Arouche (Largo do Arouche, 200, República, tel. 3224-1421/ atascadoarouche.com.br). Localizado junto ao hotel San Raphael, o restaurante oferece bons pratos a preços mais em conta do que em outros locais da cidade. Provamos em nossa visita o ótimo Bacalhau da Tasca, feito com posta alta de bacalhau ao forno, cebolas caramelizadas no azeite, brócolis, batatas, ovo cozido, tomate semi confitado e alho frito. Também sugerimos o ótimo arroz de pato, feito com arroz português do tipo Carolino.

Escrito por Maria Eugênia Gonçalves
 

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus
 

© 2011 - 2016 Time Out Group Ltd. All rights reserved. All material on this site is © Time Out.