Milton Nascimento - Nada Será como Antes

Qualidade técnica impressiona em musical que homenageia o cantor e compositor mineiro

Guga Melgar/Divulgação


Não é simples classificar Milton Nascimento – Nada Será como Antes. Seria uma peça musical, até porque foi concebida e dirigida pelos mestres do gênero no Brasil, Charles Möeller e Claudio Botelho (responsáveis por Hair e Despertar da Primavera, entre tantos outros), mas quase não há dramaturgia no espetáculo, o que o aproxima de um show. Seria, portanto, por falta de um rótulo melhor, um show encenado.

Homenagem ao cantor e compositor Milton Nascimento, o espetáculo é composto de 90 minutos de números musicais sem interrupção nem diálogos. A vida do artista não é contada, mas está nas letras; no cenário – uma casa de fazenda com detalhes barrocos e um trenzinho de madeira no canto; e no figurino – parte do elenco usa boina, marca registrada do visual do artista mineiro.

As canções são suficientes para que uma bela performance se molde diante dos olhos – e dos ouvidos – da plateia. Não só pela consistência e lirismo da obra de Milton – que completou 70 anos de vida e 50 de carreira em 2012 – , mas muito também pela qualidade técnica dos 12 jovens que cantam e tocam instrumentos, solam e formam coros sublimes no palco. A direção musical – de Claudio Botelho – é impecável. A uniformidade visual e sonora faz com que poucos momentos se destaquem mais do que outros, mas vale citar a abertura, quando, num jogo vocal, as melodias de várias músicas conhecidas de Milton se sobrepõem; o medley puxado por ‘Nos Bailes da Vida’; e a versão rocker de ‘Fé Cega, Faca Amolada’. Canções exaustivamente tocadas, como ‘Coração de Estudante’ e ‘Canção da América’ ganham twists que lhes devolvem o frescor: a primeira tem o acompanhamento de um clarinete; a segunda é entoada em sua versão em inglês.

Claro que 50 músicas de um só artista em sequência e sem grandes firulas cênicas (o que, de certa maneira, combina com o estilo low profile de Milton) entretém principalmente aqueles que, mais do que apreciadores de musicais, são fãs fervorosos do artista. Por outro lado, é sempre bom ver a nossa rica MPB ganhar também os holofotes teatrais, cada vez mais voltados para musicais traduzidos da Broadway. Pena que no caso de Milton Nascimento – Nada Será como Antes não existem a opção de assentos mais baratos. O ingresso mais em conta sai por R$ 100 (inteira).
 

 

Escrito por Marina Monzillo
 

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus
 

© 2011 - 2016 Time Out Group Ltd. All rights reserved. All material on this site is © Time Out.