Time Out Viagem

Onde Comer

A capital mundial da gastronomia enfrenta atualmente uma forte concorrência de Londres. Qual delas é melhor? Bem, só há uma maneira de descobrir  

Lembre-se de que NY tem mais de 23 mil restaurantes, bares e cafés, portanto destacamos aqui apenas uma amostra de tudo o que a cidade oferece. E este cenário está em constante transformação: em média, cinco novos restaurantes abrem todos o dias, contra um que fecha suas portas. É impossível cobrir todas as ofertas culinárias da cidade, mas você pode provar muitas delícias explorando as possibilidades.

A maior dificuldade para se comer fora em Nova York é o número de opções, atordoante mesmo para os moradores locais. Conseguir reservas também pode ser bem difícil; sempre ligue antes. Os lugares da moda costumam lotar com semanas de antecedência. Felizmente, na grande maioria dos casos, são necessários apenas alguns dias de antecedência, ou até menos. Os restaurantes, em geral, ficam cheios entre 19h e 21h. 

Se você não se importa em jantar muito cedo ou muito tarde, suas chances de conseguir uma mesa em um lugar famoso aumentam bastante. Nesta terra de emergentes, o traje varia muito, mas alguns restaurantes ultrachiques exigem que o homem esteja de terno e gravata. Em caso de dúvida, ligue e pergunte.


Le Bernardin

155 W 51st St, Nova York 10019 (
le-bernardin.com). Seg. a qui., 12h–14h30 e 17h15–22h30; sex. 12h–14:30 e 17h15–23h; sáb., 17h15–23h.
Na última década, o universo gastronômico de Nova Iorque vem terremoto que derruba titãs da velha ordem e revelando novos chefs que defendem alimentos acessíveis e servidos em ambientes casuais. Mas o Le Bernardin – um verdadeiro templo da culinária francesa de frutos – segue ileso a esse abalo sísmico. Os irmãos Gilbert e Maguy Le Coze abriram seu restaurante parisiense para a Grande Maçã em 1986, que, desde então, mantém sua reputação inabalada por décadas. O Le Bernardin ainda é um lugar formal, com toalhas de mesa brancas, serviço decente e uma política uso obrigatório de treno obrigatório no salão principal. Mas uma reforma recente modernizou a sala com cadeiras de couro e um mural de mais de 1 metro de um mar tempestuoso de Ran Ortner, um artista do Brooklyn.


Bouley

163 Duane St, Nova York 10013 (
davidbouley.com). Diariamente, 11h30–15h e 17h–23h30.
Homônimo de um dos grandes destinos da alta gastronomia na cidade que perdeu sua majestade ao longo dos anos por conta da devoção cega do chef em um opulento e datado cardápio de estática oitentista, o novo Bouley é uma versão mais esperta do antigo, mas sem concessões à nova realidade econômica.


Gotham Bar and Grill

12 E 12th St, Nova York 10003 (
gothambarandgrill.com). Seg. a qui., 12h–14h15 e 17h30–22h; sex., 12h–14h15 e 17h30–23h; sáb., 17h–23h; dom., 17h–22h.
Mesmo que seu menu não chegue aos limites da gastronomia, a execução dos pratos do chef Alfred Portale é impressionante. A salada de beterraba e manga com erva-doce, cebola roxa e queijo feta pode parecer como qualquer outra salada de beterrabas, mas assim como seus outros lindamente simples pratos – como os cubos de laranja vermelhos e vibrantes com lacas de legumes servidos em uma estreita placa retangular –, possuem apresentação e sabor cristalinos. Outra verdadeira iguaria é o caranguejo frito com cogumelos, ervilhas frescas e cuscuz. Uma delícia arquitetada com maestria.


Gramercy Tavern

42 E 20th St, Nova York 10003-13 (gramercytavern.com). Seg. a qui., 12h–14h e 17h30–22h; sex., 12h–14h e 17h30–23h; sáb., 17h30–23h; dom., 17h30–22h.
O Gramercy é o restaurante que transformou Danny Meyer de um simples restaurateur para o dono do mundo, fez de Tom Colicchio uma estrela e lançou uma por toda a cidade o conceito de restaurantes americanos casuais, ainda que de luxo. É nas construções delicadas de legumes e peixes que o cardápio mais acerta. A influência do Blue Hill at Stone Barns – um restaurante focado na adoração aos ingredientes – é evidente assim que o primeiro parto (do menu de preço fixo com três pratos) é servido.


Annisa

13 Barrow St, Nova York 10014 (
annisarestaurant.com). Seg. a sáb., 17h30–22h30; dom., 17h30–21h30.
Com uma década funcionando no West Village, o restaurante de Anita Lo, foi fechado após um incêndio. No início desse ano, sua nova tentativa, agora com o Bar-Q, abriu e fechou depois de uma enxurrada de críticas negativas. Às vezes, a má sorte é o pontapé criativo que você precisa. E a prova disso é o novo Annisa. Despojado de distrações, Lo passou o tempo de reconstrução do Annisa maturando que caminho deveria ou não seguir. Tanto que o local não é mais espalhafatoso como costumava ser, porém, a comida é mais emocionante do que nunca! As composições, muitas vezes inspirados por suas próprias aventuras alimentares da chef (que viajou o mundo todo em 2009), são tão intensamente pessoais, que parecem existir em um mundo próprio.


Dovetail

103 W 77th St, Nova York (
dovetailnyc.com). Seg., qui. e sáb., 17h30–23h; qua. E sex., 12h–14h30 e 17h30–23h; dom., 17h30–22h.
Esta joia de luxo ocupa uma pequena classe de restaurantes do Upper West Side que justificam a viagem a um bairro residencial. Embora a aparência de restaurante do hotel gere a expectativa negativa de algo nada especial, o menu do bem sucedido chef John Fraser (ex-Compass) possui uma rica ênfase no sazonal. O tamboril e o gnocchi de vitela (ambos com infusão de foie gras e manteiga), além das carnes (como o lombo carbonizado acompanhado por lasanha de bochecha com camadas finíssimas de nabo) são ótimos exemplos de culinária feita com o coração.


Del Posto

85 Tenth Ave, New York (
delposto.com). Seg. a sex., 11h30h–14h e 17h30–23h; sáb., 16h30–23h; dom., 14h30–22h.
Com ambições e os preços combinando, o restaurante de Mario Batali Del Posto segue com seu padrão elevado desde 2005, tornando-se nada menos que o principal destino da cidade para a cozinha italiana refinada. A cozinha, sob o comando do antigo aprendiz de Batali, Mark Ladner, produz excelentes pratos compartilháveis, como o cordeiro, a vitela e o risoto (perfeito!). A carta de vinhos italianos é enciclopédica.


Estela

47 E Houston St, Nova York 10012 (
estelanyc.com). Ter. a dom., 18h–23h30h.
São 20h de uma segunda-feira. Você está em uma lista de espera de uma hora e meia em um restaurante de paredes de tijolos expostos e bar de mármore, o que sugere que você está em mais um daqueles restaurantes rústicos/modernos que não valem o sacrifício. Porém, a nova empreitada do uruguaio Ignacio Mattos vale cada uma dessas provações. Com este novo empreendimento, Mattos e seu parceiro Thomas Carter partiram para uma postura mais relaxada do que no Blue Hill at Stone Barns, esforçando-se para vender sua marca brilhante de cozinha "primitiva moderna" para uma multidão de hipsters de Williamsburg. Aqui, o menu gira do avant-garde ao íntimo. 

Escrito por Time Out Viagem editors
Compartilhe

Comentários dos leitores

blog comments powered by Disqus

Outras notícias recomendadas

7 cidades próximas a SP para curtir a dois

5 destinos para quem quer relaxar

Cruzeiros Game Of Thrones